Licitações empurram abertura de Hospital Municipal da Região Norte para segundo semestre

Hospital Municipal da Região Norte

O Hospital Municipal da Região Norte de Rio Preto pronto desde o ano passado segue sem previsão de início dos atendimentos à população. Concluído ao valor de R$ 23 milhões pagos a empresa Constroeste que venceu licitação para a obra em troca de uma área de 145 mil metros quadrados no Distrito Industrial. A permuta foi possível após autorização de lei aprovada pela Câmara Municipal.

Previsto para ser inaugurado no primeiro semestre deste ano, promessa dita tanto pelo prefeito Edinho Araújo (MDB), como do secretário de Saúde, Aldenis Borim, no final do ano passado, o prazo estipulado agora é de “previsão de funcionamento no segundo semestre deste ano”, conforme nota da pasta da Saúde ao Dhoje Interior.

O maior entrave é a conclusão de licitações já disparadas para a aquisição de todos os equipamentos médicos hospitalares. Outro problema é definir o chamamento público também aberto que vai determinar a Organização Social que ficará responsável pelo gerenciamento do Hospital Municipal Norte.

Sobre o andamento das licitações a Secretaria de Saúde afirma que algumas foram concluídas e os materiais em fase de entrega pelos fornecedores. “Outras licitações ainda estão em andamento, dentro dos prazos de apresentação de propostas”, diz.

Ao todo, somente com os equipamentos, serão gastos mais R$ 23 milhões. Do valor R$ 18 milhões do governo do Estado de São Paulo e R$ 5 milhões por emenda parlamentar do deputado Geninho Zuliani (União Brasil).

A pasta da Saúde afirma que não há data para aquisição de todos os equipamentos hospitalares já que “depende do andamento das licitações e eventuais recursos que as empresas apresentarem”.

Já o edital para chamada pública que irá definir Organização Social (OS) para administrar o hospital está na fase final. “Em andamento, com previsão de abertura das propostas em 12 de julho. Cinco instituições estão habilitadas”, afirmou a Secretaria de Saúde. O valor pago a instituição responsável pelo comando do hospital só será definido após conclusão do processo de chamamento público. A Prefeitura chegou a divulgar que o custo mensal para manter o hospital em funcionamento era estimado em R$ 2,7 milhões.

A Organização Social que vencer deverá ter contrato com um hospital terciário, nos casos de transferências de pacientes que apresentarem complicações em seus quadros clínicos estando no hospital municipal.

Adequações

Além dos gastos para equipar o Hospital Municipal da Região Norte foi aberta licitação para obras de adequações com gastos previstos de R$ 655,4 mil. O objetivo é realizar obras complementares que ficaram de fora do projeto original do prédio do novo hospital.

O hospital fica na avenida Alberto Olivieri, conhecida como avenida no Linhão, no Jardim Atlântica, entre os bairros Eldorado e Cecap.

O hospital vai ser equipado com 80 leitos. Durante encontro na Câmara Municipal o secretário de Saúde, Aldenis Borim, afirmou que o hospital terá um mínimo de 288 funcionários, entre médicos, enfermeiros, técnicos e setor administrativo. Ao todo, obrigatoriamente, deverão ser realizadas 3.462 horas médicas por mês.

O hospital fará cirurgias de média e baixa complexidade, em especial, cirurgias de próteses de joelho, quadril, hérnia. “Temos aqueles procedimentos onde a demanda reprimida é muito grande, eles passam ser obrigatórios no cumprimento da meta. Catarata é uma doença com demanda reprimida muito grande, mais de 3 mil olhos pra fazer. É obrigatório cumprir as 3.462 horas médicas por mês”, adiantou o secretário.

Raphael Ferrari – Dhoje Interior