Ipês roxos começam a enfeitar as ruas de Rio Preto

Com o fim do outono e o início do inverno, o Ipê Roxo é o primeiro a florir e já chama a atenção de quem o vê enfeitado pelas ruas de Rio Preto. Por ser uma época de seca, a árvore acaba florescendo, quanto mais seco o tempo estiver, mais exuberante ele fica, explicou o engenheiro agrônomo Otton Garcia de Arruda. A árvore segue uma sequência de cores, após o roxo vem o amarelo, e em seguida branco.
“Como o tempo anda sofrendo grandes variações podemos ver as três cores juntas. É muito bonito”, explica Garcia.
O engenheiro agrônomo explicou detalhadamente o porquê o Ipê roxo aparece nesta época do ano. “Entre o final do outono e o início do inverno acabam as chuvas. Quando ele sente que o a umidade do ar diminui, os dias ficaram mais curtos, ele começa a florescer. Essa florada dura de uma semana a dez dias”, afirma.

Ypê roxo é a primeira flor a chamar a atenção com a chegada da estação. Claúdio Lhaos

Clever Luis Barroso Molina, proprietário de uma banca de revista que fica em baixo de um ipê roxo não tem do que reclamar “É uma maravilha para mim, não tem coisa melhor do que uma sombra bonita dessa. Deixa minha banca mais chamativa.”
Vânia Rosa e Ana Paula gostam de ver o ipê “É muito bonito. Já reparei que dava nesta época do ano”, disse Vânia, mas quando questionada o porquê a amiga respondeu “Reparar eu já reparei, mas eu não sei porquê”, completa Ana Paula.
Quem mora perto de um, também já reparou que o ipê está florescendo. Jorge Amadeu de Oliveiro é morador do bairro Boa Vista e sempre que consegue, para um pouco para apreciar a árvore “Eu sou da roça, amo isso, deixa uma aparência diferente, é vida na cidade. É uma época que fico mais feliz”, afirma.
Ainda segundo o engenheiro agrônomo Otton Garcia de Arruda, caso alguém queira adquirir uma semente de ipê basta ir ao Viveiro Municipal “É só comparecer até o Viveiro Municipal, com um documento de identidade e um comprovante de residência. Lá vamos passar todas as orientações necessárias”, finaliza.

Dhoje Interior

(Colaborou: Leo BIGOTTO CARON)