INFRAÇÃO: Toda semana, 70 motoristas ‘estouram’ pontos da CNH em Rio Preto

Fabio Carvalho

O Departamento de Trânsito (Detran) de São Paulo divulgou o balanço com o número de motoristas que tiveram a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa neste ano, em São José do Rio Preto. Segundo levantamento, de janeiro a setembro de 2018, 2.509 motoristas tiveram o direito de dirigir suspenso. Uma média de quase 70 pessoas por semana.

São motoristas que ultrapassaram o limite máximo de pontos no registro da CNH no período de 12 meses. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, sempre que o condutor ultrapassa 20 pontos em um ano, ele automaticamente tem seu direito de dirigir suspenso.

Dhoje Interior

O período de suspensão varia de seis meses a até dois anos, dependendo do histórico do motorista e da gravidade das infrações por ele cometidas.

O motorista também pode ter a carteira de habilitação suspensa se cometer algumas infrações gravíssimas, como dirigir embriagado; ser flagrado dirigindo com velocidade acima de 50% do limite máximo; praticar racha, entre outras situações previstas no Código de Trânsito.

Em Rio Preto, apesar de considerado alto, o número de motoristas com a CNH suspensa diminuiu se comparado ao ano passado. No mesmo período de 2017, foram registradas 2.675 suspensões, um volume 6,3% maior que deste ano segundo levantamento do Detran.

Como funciona
Ao atingir a pontuação máxima, o motorista tem a suspensão decretada e recebe uma notificação para comparecer à Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito), entregar a habilitação e assinar o termo de suspensão, quando terá início o cumprimento da pena, que será definida pela autoridade de trânsito. A partir de então, o condutor não pode mais dirigir.

Caso conduza qualquer veículo, o motorista poderá ter a habilitação cassada por dois anos por descumprimento da lei.

Depois de cumprir a suspensão, a Carteira Nacional de habilitação será restituída e o motorista poderá voltar ao volante após apresentar o certificado de conclusão do curso de reciclagem que é oferecido pelos Centros de Formação de Condutores. Só depois é que ele tem a CNH liberada e pode voltar a dirigir.

 

Por Vinicius MAIA