Incêndio destrói loja de estofados no centro de Rio Preto

Na manhã desta quarta-feira (1) equipes do Corpo de Bombeiro, Polícia Militar e Defesa Civil foram mobilizadas por volta das 10h para combater um incêndio causado em uma empresa de estofados no centro do Rio Preto.

Em entrevista para o jornal DHoje, a responsável pela unidade da empresa, Polyene Souza, informou que os problemas no imóvel teriam iniciado na sexta-feira (27) devido um curto-circuito.

Dhoje Interior

“Nós chamamos a seguradora que disse que seria necessário chamar um eletricista porque tinha acontecido um sinistro. Já na terça-feira (31) teve um principio de incêndio que queimou estofados na parte superior da loja e o teto, nós chamamos a seguradora novamente e a orientação continuou sendo o acionamento de um prestador de serviços. Hoje enquanto o eletricista estava comprando os equipamentos para resolver o problema o fogo iniciou e se alastrou rapidamente”, disse Polyene.

Dentro da loja, que fica na Rua Rubião Junior esquina com a Avenida Bady Bassitt, estavam três dos quatro funcionários da unidade, que inicialmente tentaram conter as chamas usando os extintores de incêndio. Porém devido à rápida propagação do fogo eles deixaram o imóvel e acionaram o Corpo de Bombeiros.

Polyene ainda relatou que o prejuízo da empresa pode ultrapassar o valor de R$1 milhão. Não houve feridos.

Ao todo foram acionadas oito viaturas com quinze bombeiros para controlar as chamas, impedindo que o incêndio se alastrasse para imóveis vizinhos. De acordo com o Sub-Tenente Manoel Batista de Oliveira, a motivação do incêndio será investigada. As equipes permanecerão no local para a ação de rescaldo.

“A loja de estofados possui materiais inflamáveis e propagáveis, porém a ação rápida dos bombeiros que eliminou esse incêndio garantiu que nenhum outro edifício fosse danificado. Agora estaremos trabalhando com rescaldo, a intenção é impedir que qualquer novo foco de incêndio se inicie”, explicou o sub-tenente.

Junto com os bombeiros também foram acionados a Polícia Militar, que interditou parte das ruas vizinhas, e a Defesa Civil que apoiou os bombeiros e mais tarde irá avaliar a estrutura do prédio.

Segundo as informações fornecidas o imóvel já teria passado por outro incêndio quando em 2015 uma loja de cartuchos também aconteceu um curto-circuito.

 

Colaborou – Bruna MARQUES – Redação Jornal DHoje Interior