Homem perde R$ 22,8 mil ao cair em golpe de venda de carro na internet

Foto: Cláudio LAHOS

Um homem, de 54 anos, passou mal ao descobrir que havia caído em um golpe na internet e perdido R$ 22,8 mil. O caso foi registrado na Central de Flagrantes de Rio Preto (SP), nesta sexta-feira (27).

De acordo com o boletim de ocorrência, um analista de 41 anos anunciou o seu carro em site de compra e venda, no valor de R$ 37 mil.

Dhoje Interior

Com um nome falso, um estelionatário entrou em contado por meio do WhatsApp com o dono do veículo, mostrando estar interessado na compra. Durante a conversa, o suspeito solicitou mais imagens do carro para verificar as condições do carro.

O golpista usou as imagens para fazer um novo anúncio de venda do veículo no mesmo site. O homem, de 54 anos, ficou interessado e entrou em contato com o suspeito para realizar a negociação. Durante a conversa, ele disse para o comprador que o carro estava em posse de outra pessoa, mas garantiu ser proprietário dele.

O suspeito manteve contato com o verdadeiro dono do veículo e disse que iria fechar a compra e mandaria um amigo buscar o carro. Ele enviou um falso comprovante de depósito no valor de R$ 37 mil e disse que um parente iria buscar o veículo.

Ao mesmo tempo, o estelionatário pediu para que fosse feito o depósito de R$ 22,8 mil em uma conta e marcou encontrou com da vítima do golpe com o verdadeiro dono do veículo.

O dono do carro só descobriu que estava negociando com um golpista após verificar que o depósito não havia caído na conta e que o comprovante enviado para ele era falso.

Ele explicou para a vítima do estelionatário que não poderia entregar o carro e transferir os documentos porque o anúncio que ele viu se tratava de um golpe. O homem passou mal e foi encaminhado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Tangará, onde passou por atendimento e foi liberado.

A vítima e o dono do carro tentaram entrar em contato com o golpista, porém, o número estava bloqueado. Cópias das conversas com o estelionatário foram entregues e anexadas ao inquérito policial.