Homem agride a mulher, aciona a PM e é preso

Um homem de 53 anos foi preso na noite deste domingo (22) após se envolver em uma briga com a mulher de 52 anos e acionar a Polícia Militar. O flagrante ocorreu no bairro Santa Catarina, em Rio Preto.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, o casal teria ingerido considerável quantidade de bebida alcoólica e acabou discutindo. O homem acionou a PM, através do 190, quando a mulher jogou a moto dele no chão e tentou atear fogo no veículo. Neste momento, ele desferiu um golpe de capacete na cabeça dela.

Dhoje Interior

Após ser agredida, a mulher entrou na casa e trancou o homem para fora. Quando os policiais chegaram ao local, a mulher estava deitada na cama e apresentava diversas escoriações pelo corpo, inclusive, um de seus olhos inchado e um hematoma na testa. A vítima disse aos policiais que queria ir ao médico.

Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) socorreu e encaminhou a mulher à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Toninho.

À PM o homem confirmou que agrediu a mulher com o capacete e alegou que a intenção foi impedi-la de atear fogo em sua moto, uma vez que em um desentendimento anterior entre o casal, ela teria incendiado o veículo dele. O agressor, no entanto, negou que tenha causado as escoriações e outros ferimentos no corpo da mulher, dizendo que ela se feriu ao cair enquanto tomava banho, em razão de seu estado de embriaguez. Ele afirmou que pode ouvir do lado de fora os barulhos de impacto das quedas.

Conduzido à Centra de Flagrantes, ele disse apenas que a agrediu uma vez com o capacete e preferiu permanecer em silêncio. Policiais civis foram até a UPA e lá conversaram com a vítima, que contou que foi agredida por diversos golpes de capacete e, também, com um instrumento de madeira. Ela contou ainda que essa é a segunda vez em que é agredida e manifestou seu desejo de ele fosse preso e processado.

A vítima foi transferida para o Hospital de Base. O agressor permaneceu preso à disposição da Justiça. Registrado como lesão corporal e violência doméstica o caso será encaminhado para a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior
E-mail: [email protected]