“Haverá mais demissões no setor”, avisa Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares

Com a regressão de Rio Preto para a fase laranja, os bares não poderão mais trabalhar com atendimento presencial. Com isso, o número de consumidores acaba diminuindo e, consequentemente, os empresários não precisam do mesmo número de funcionários que precisavam antes.

Para Paulo Silva, presidente do Sinhores (Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares), a demissão vai aumentar. “Haverá mais demissões no setor de entretenimento, porque os proprietários não têm de onde tirar mais recursos para manter os empregos”, explica.

Dhoje Interior

Já os restaurantes estão permitidos abrir, porém com capacidade reduzida de 40% e até às 20h.

Os bares que tentarem amenizar a situação e quiserem se enquadrar também como restaurantes poderão ser penalizados. “Bar é todo aquele estabelecimento que tem como atividade predominante a venda de bebidas alcoólicas”, explica Mirian Wonk, gerente da Vigilância Sanitária .

Rio Preto atingiu 70,2% no índice de ocupação nas UTI’s e a doença está se alastrando. “Os bares e restaurantes não são os responsáveis pelo o aumento do índice da doença, mas sim, as festas clandestinas onde a população sem consciência acaba indo e prejudicando uma região inteira”, ressalta Paulo.

O Sincomercio (Sindicato do Comércio Varejista) de Rio Preto também se manifestou a respeito. “No nosso ponto de vista a regressão é desnecessária, pois o comércio em geral respeita todas as normas de saúde e regras, não criando um fator de risco. As autoridades públicas deveriam rever a questão do transporte público, por exemplo, onde o contato está sendo muito maior e, também, fiscalizar as festas particulares que não cumprem nenhuma norma”, explica o vice-presidente Ricardo Arroyo.

Por nota, a Acirp informou ter sido pego de surpresa pela antecipação da reclassificação  “O setor produtivo não é o vilão. Isso já está comprovado”, diz a entidade.

Ainda segundo a nota, a Acirp vai pressionar o Governo para que faça a reclassificação imediata da cidade para a fase amarela assim que novos leitos, conforme prometido pela prefeitura de Rio Preto forem abertos.

“Estamos contando com o bom senso do Governo Estadual que, assim como mudou os critérios de última hora, também faça a avaliação imediata dos indicadores das prefeituras que agirem para atender a população.”, diz a nota.

Por Andressa ZAFALON