Funfarme e Instituto Valquírias capacitam moradores da Favela Marte

Os participantes poderão ser contratados pelo HB ou qualquer outra instituição. Divulgação

A Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme) realizou nesta terça-feira (21) o Projeto de Capacitação na Favela Marte como parte do Pacto pela Inclusão Econômica, projeto dos Institutos Valquírias World e Gerando Falcões.

A Fundação se comprometeu a receber currículos de moradores da favela para participarem de processos seletivos nas suas unidades do complexo hospitalar.

O Setor de Recursos Humanos da Fundação realizou uma roda de conversa com os moradores sobre a cultura da instituição e, na sequência, foram realizadas duas palestras de capacitação sobre técnicas básicas de limpeza hospitalar e lavanderia.

A diretora administrativa Amália Tieco explica que “o Hospital de Base tem um compromisso com a nossa sociedade e este vai além de cuidar dos nossos pacientes. Por isso voltamos a comunidade da Favela Marte com esta nova iniciativa. No ano passado viemos com as ações do Outubro Rosa e Novembro Azul, agora com ação Pacto pela Inclusão Econômica dos moradores. É nossa cultura também cuidar de nossa sociedade.”

A psicóloga Cristiane Midori Takasu, supervisora do Recursos Humanos da Fundação, falou sobre a importância da ação. “A capacitação profissional é uma ferramenta efetiva de transformação social, resultando em maior empregabilidade, oferta de cidadania e dignidade à população da Favela Marte. Investir no desenvolvimento de pessoas com carências sociais é uma forma de responsabilidade social e de contribuir para a mudança social da realidade atual”, explica.

Giseli Moreti Oliveira, psicóloga social dos Instituto Valquírias World, também destacou a relevância da iniciativa. “Notamos que não bastava o morador mandar currículo, era necessário fazer um trabalho multifatorial que é uma capacitação e uma mentoria de habilidades. Graças a esta iniciativa do HB, de trazer até a comunidade equipamentos e conteúdo de capacitação é um diferencial enorme. O morador entende o fluxo e a cultura da Fundação, tornando-o mais apto para efetivação”, diz.

A moradora Danila Santos de Matos participou da capacitação e aprovou a ação. “Sou muito grata por esta iniciativa. Antes, nós enviávamos currículos, mas muitas vezes faltavam qualificações. Agora será diferente, estamos aptos para atuar no mercado de trabalho”, afirma.

“É importante destacar que estes profissionais poderão atuar não só na Funfarme, esta capacitação torna os moradores aptos para trabalharem em outras unidades e instituições de saúde”, disse Tieco.

Da REPORTAGEM