Franquias planejam crescimento milionário em 2018

GESTÃO - Jean Carlos de Souza, gestor de inteligência do Banneg

Depois de três anos em baixa, alguns setores já puderam comemorar um crescimento já no fim de 2017, como são os casos da Acqio, rede de franquias voltada ao segmento de pagamentos eletrônicos via POS (maquininhas de cartões) e do Banneg, rede especializada nas principais soluções financeiras, como consórcios e financiamentos, ambas franquias rio-pretenses.

Nos dois casos, as empresas conseguiram fechar com saldo positivo e já traçam metas audaciosas para 2018.

Dhoje Interior

“Desde 2014 já captamos mais de 1 bilhão. Mas, somente no ano passado, nosso faturamento ficou na ordem dos três dígitos. Desenhamos um modelo de negócio muito focado no atendimento do nosso franqueado. Focamos no pequeno e no médio. Assim, foram conquistadas 260 novas unidades, e a projeção é fechar 2018 com o total de 650 unidades”, afirmou Carlos Rollo, diretor de marketing da Acqio, que também espera por outra conquista da franquia.

“A meta para esse ano é agressiva. Queremos fechar entre as 10 maiores franquias da ABF – Associação Brasileira de Franchising”, finalizou.

Nascido no ano passado em Rio Preto, o Banneg bateu a meta de 2017 e fechou o ano com cinco franquias negociadas. “Nós acabamos focando em franquias másters, que são aqueles conglomerados de franquias que uma pessoa tem o direito sobre aquela determinada região. Elencamos a projeção de cinco vendas e conseguimos. Então, diante daquilo que projetamos, tivemos um ganho de aproximadamente 8%”, explicou Jean Carlos de Souza, gestor de inteligência do Banneg, que tem em vista números altos para esta temporada.

“Em 2018 queremos de seis a sete mil pessoas tendo acesso aos nossos conteúdos por mês. Em termos de conversão, pensamos em torno de 3 a 4%. Nós temos uma projeção de chegar até R$ 80 a R$ 100 milhões com a venda de másters e franquia”, finalizou.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER