Famerp renova parceria do projeto Gato de Botas com a Prefeitura

O projeto Gato de Botas, que atende crianças do Ensino Fundamental de Rio Preto com dificuldades de aprendizagem, vai continuar. A Famerp renovou com a Prefeitura o convênio para a sequência do trabalho, iniciado em 2001. Com isso, os mais de 100 alunos atendidos atualmente na unidade escolar Gato de Botas, no bairro Vila Redentora, continuarão normalmente a receber os cuidados de profissionais da saúde e professores especialistas para complementação ou suplementação pedagógica.

Todas as crianças matriculadas na rede pública de ensino que apresentam ou mesmo se queixam de dificuldade na hora de aprender são encaminhadas para o projeto Gato de Botas. Lá, elas são avaliadas, de forma individual, por profissionais da Famerp a fim de se identificar as dificuldades e elaborar a partir delas o plano de aprendizagem.

Dhoje Interior

“É um programa que tem provado seu valor no tempo, atendendo muito bem as crianças que mais necessitam”, afirmou o diretor geral da Famerp, Francisco de Assis Cury;

A professora Leda Maria Branco da Famerp, chefe do departamento de Psicologia da Famerp, faz questão de destacar a dimensão dele para todos os envolvidos. “Esse projeto é extremamente importante. Tanto para a comunidade como para a Famerp, que tem um papel fundamental de oferecer serviços para a comunidade. No Gato de Botas esses serviços vão ser prestados por nossos alunos do quarto e quinto ano de Psicologia. Supervisionados por um professor, eles farão as avaliações e o atendimento dessas crianças”, comentou.

A capacidade de atendimento na unidade é de até 250 crianças. Atualmente, são acolhidos pelo projeto Gato de Botas 107 alunos da rede municipal de ensino nesta que é uma parceria da Famerp com profissionais da prefeitura, celebrada pela coordenadora.

“É preciso destacar que os profissionais da prefeitura colaboram muito com a gente. Há uma estreita contribuição entre a equipe do Gato de Botas, que é extremamente capacitada, e a Famerp, no sentido de atender a comunidade e de formar profissionais de qualidade para os serviços de saúde”, destacou Leda

O programa também tem como objetivos atuar na formação de profissionais para as diversas áreas, oferecer suporte pedagógico para professores, coordenadores e diretores de escola, apoiar e orientar as famílias, oferecer cursos, simpósios, jornadas e palestras sobre distúrbios de aprendizagem, contribuir com a pesquisa científica na busca por novas estratégias para tratamentos na área, além de oferecer atividades complementares para as crianças nas áreas de esporte, música e artes, em parceria com faculdades e a comunidade.

Da REPORTAGEM