Estado nega exclusão de professor da educação especial de vacinação e diz que decisão é da Prefeitura

A secretaria estadual de Educação se manifestou na manhã desta terça-feira sobre a vacinação de atuam com educação especial em Rio Preto. A pasta reforça que a educação inclusiva faz parte da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN) e é seguida pelo governo do estado.

“A orientação da secretaria é que todos os educadores que estão em sala de aula devem ser vacinados, inclusive os profissionais que atuam no ambiente escolar, dentre eles, inspetores, merendeiros, funcionários de limpeza, dentre outros”, diz a assessoria de imprensa da pasta.

Dhoje Interior

A pasta nega que a orientação tenha sido fornecida por representantes da pasta, e afirma que a secretaria municipal não encaminhou até o momento nenhum questionamento sobre a vacinação dos professores que atuam na educação municipal, e que a decisão é exclusiva da administração municipal.

“Não conseguimos responder na última segunda-feira, pois em conjunto com técnicos da Educação e representantes da Diretoria Regional de Ensino de Rio Preto tentamos identificar de onde surgiu essa informação, pois vai contra aquilo que o governo do estado defende, inclusive foi o único município que registrou esse problema, em nenhum dos outros 644 municípios tivemos esse questionamento, a decisão é exclusiva da prefeitura”, diz a pasta.

A secretaria reforça que a aprovação do cadastro dos profissionais depende exclusivamente dos superiores imediatos dos profissionais, não passando por avaliação do estado. “Os profissionais fazem o cadastro na plataforma VacinaJá Educação e os cadastros são aprovados pelos superiores imediatos, no casos dos servidores municipais pela pasta municipal, não contando com interferência do governo estadual”, afirmou a pasta.

A secretaria de Educação, manteve a nota encaminhada na última segunda, quando informou que “as normas” teriam sido definidas pelo Governo do Estado de São Paulo e apresentadas em reuniões virtuais realizadas pela Secretaria de Educação do Estado e Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), com todos os municípios do Estado, inclusive com a participação de todos os gestores das unidades escolares, na última sexta-feira, dia 9”, afirmou.

A pasta afirmou que atualmente são 1960 professores na rede de ensino, destes, 39 atuam na educação especializada. A reportagem apurou na ocasião que aptos para receber a vacina, seriam apenas 12 profissionais que atuam no NAEE. O governo do estado estipulou que para essa primeira fase os profissionais tenham 47 anos ou mais de idade.

A secretaria de Rio Preto descreve que estão elegíveis para a vacinação nesta etapa, de acordo com a definição do Estado de SP, “os professores da educação básica, merendeiras, auxiliares de serviços gerais e faxineiros, secretários da escola, diretores e vice-diretores, professores coordenadores pedagógicos e cuidadores, mas não responde ao questionamento sobre a classificação dos integrantes da NAEE.

De acordo com a assessoria de imprensa da pasta, um questionamento sobre a vacinação foi encaminhado para a Secretaria estadual no inicio da tarde, porém até o encerramento desta reportagem não havia recebido retorno.

Por Thiago PASSOS