Empresário é flagrado com R$ 50 mil em mercadoria do Paraguai e arma

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou um empresário de 47 anos portando um revólver calibre 38 e R$ 50 mil em mercadorias do Paraguai sem nota fiscal. A abordagem ocorreu às 20h30 deste sábado (06), no km 73 da rodovia BR 153, em Rio Preto.

Os policiais realizavam patrulhamento, quando depararam com um veículo modelo GM Vectra, placas de Guapiaçu-SP, conduzido por um homem. Durante a abordagem e conferência da documentação, o homem mostrou-se incomodado com a ação policial.

Dhoje Interior

Diante do nervosismo do condutor, os policiais realizaram a vistoria no veículo, momento em que localizaram debaixo do banco do passageiro dianteiro um revólver calibre 38, com cinco munições. A arma está registrada no nome do empresário e ele tem credencial de atirador, porém estava fora do itinerário autorizado para trânsito da arma.

Indagado, inicialmente, o empresário disse que estava voltando de um Clube de Tiros (Stand de tiro), localizado em Guaíra no Paraná divisa com Fronteira da cidade Santo Del Guaíra, no Paraguai, na ocasião apresentou o certificado de registro de arma de fogo e a nota fiscal.

Questionado quanto a localização do Stand de Tiro, o empresário não soube informar. Posteriormente acabou confessando que havia ido até o Paraguai para fazer compras e que levou a arma de fogo para proteção pessoal.

No porta malas os policiais encontraram diversos equipamentos eletrônicos, como celulares e roteadores de internet, avaliados em aproximadamente R$ 50 mil. O homem não apresentou comprovação de que realizou o desembaraço aduaneiro para importar os aparelhos.

O homem, que atua como empresário, disse que comprou os eletrônicos no Paraguai e estava levando para Guapiaçu-SP, cidade localizada há 20 km de Rio Preto.

A ocorrência foi apresentada na Central de Flagrantes de São José do Rio Preto. O veículo e as mercadorias foram apreendidas junto à Receita Federal.

Este tipo de crime do artigo 14 da Lei de Armas, Lei 10.826/2003 é afiançável, portanto foi arbitrado o valor de R$1.100. O empresário pagou a fiança e foi posto em liberdade.

Por Sue PETEK – Redação Jornal DHoje Interior.