Em novo tipo de golpe, estelionatário clona anúncio de veículo da OLX e faz três vítimas em um dia

Um novo tipo de golpe tem chamado a atenção da Polícia em Rio Preto. Pelo golpe, um intermediário se envolve na compra e venda de um veículo que existe e engana o proprietário e o interessado.

Nesta nova modalidade, um golpista clona um anúncio de um veículo que existe, normalmente publicado em sites de venda como OLX, mas com um valor inferior e seus dados para contato.

Dhoje Interior

Somente no último dia 18 de outubro, sexta-feira, três pessoas procuraram o plantão policial para relatar esse tipo de crime. A negociação de todas foi a mesma, o comprador, interessado pelo preço, entra em contato com o estelionatário que age como um intermediário com o vendedor. A cada um deles, o golpista afirma que o outro tem uma dívida com ele e acaba convencendo o dono do veículo a não repassar os valores para o interessado no carro, somente após a visita para ver o veículo.

Depois que o negócio é fechado, o intermediador informa ao comprador a conta bancária para depósito, geralmente mais de uma. Esse foi o caso de um vigiante de Rio Preto, de 28 anos, que perdeu R$5 mil após negociar uma moto em Mirassol. Após realizar o pagamento do veículo, em duas contas diferentes, ele foi até o cartório, onde havia combinado com  estelionatário para preencher o recibo. O vigilante ficou por horas esperando o suposto dono do veículo, que não apareceu. Logo após isso, a vítima voltou até Mirassol, onde foi apresentou o comprovante de depósito. Só assim ele descobriu que havia sido vítima de um golpe.

O segundo golpe, também registrado no dia 18 de outubro envolveu a negociação de  de um veículo Gol 1.0.

O golpista intermediou a venda entre dois moradores de Rio Preto. O vendedor pedia R$ 18 mil pelo carro e o golpista fez anúncio do mesmo veículo pelo valor de R$ 10 mil. O comprador fez depósito em quatro contas, totalizando R$ 6 mil e, o restante, deveria ser pago no dia 22 de outubro.

Após realizar os depósitos, a vítima se dirigiu até a casa da dona do veículo e mostrou os comprovantes de depósito, contas que ela alegou não conhecer. Só após isso eles perceberam que se tratava de um golpe.

O último caso também envolveu a negociação de uma motocicleta. Um ajudante de 34 anos perdeu R$ 4,8 mil ao tentar negociar a compra de uma moto com um morador de Mirassol.

O relato da vítima foi o mesmo das anteriores, foi até a casa onde estava o produto anunciado, não falou sobre valores, realizou o depósito na conta indicada pelo estelionatário e, ao tentar retirar a moto, descobriu o golpe.

Vale a pena ficar atento para não cair nesse tipo de golpe, já que o estelionatário nunca está presente durante as intermediações.

A seguir, algumas dicas para evitar os golpes:

– Nunca repasse seus dados (fotos, documentos) por telefone ou aplicativos de conversação, sem a certeza da idoneidade da pessoa que está negociando;

– Nunca entregue seu veículo ou assine qualquer documentação de transferência sem a certeza que o valor pago foi devidamente creditado em conta bancária;

– Evite aceitar depósitos bancários por meio de envelope. Nesse caso, apenas efetue qualquer ato de entrega, após a certificação do crédito dos valores na conta bancária;

– Não negocie com intermediários sem referências. Negocie diretamente com o proprietário, ou pessoa devidamente autorizada documentalmente;

– No caso de compra, nunca deposite valores na conta de estranhos, sem a certeza que é a pessoa autorizada para a transferência veicular;

– Sempre confirme o crédito das transações via TED, junto a sua instituição financeira antes da entrega do veículo;

– Certifique-se sempre acerca da existência do veículo. Não confie apenas em fotos repassadas via aplicativos. Em caso de impossibilidade de verificar pessoalmente, peça que alguém de sua confiança certifique a existência do bem, além de verificar de que está negociando diretamente com o proprietário do veículo;

– Não confie em “prints” de comprovantes de pagamentos encaminhados via aplicativos sem a devida conferência em sua conta bancária.

Por JB