Dois casos de exame positivo de sarampo são confirmados em Rio Preto

Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil/Agência Brasil

A Secretaria Saúde confirmou nesta segunda-feira (15), dois casos de sarampo em Rio Preto. Uma das vítimas é uma criança do sexo feminino de 3 anos e a outra uma senhora de 63. Os exames preliminares que identificaram os casos foram realizados pelo Instituto Adolfo Lutz. Agora, a secretaria aguarda o exame confirmatório, feito pela FIOCRUZ (Fundação Oswaldo Cruz). Desde 2000, não havia registro nenhum caso de sarampo na cidade.

As duas vítimas do sarampo foram identificadas por meio de atendimentos médicos de rotina. A criança apresentou febre, exantema (machas vermelhas no corpo), tosse e conjuntivites. Ela havia recebido as duas doses da vacina. Já a senhora de 63 anos, foi diagnosticada apenas com febre e manchas vermelhas. Ambas as vítimas já foram tratadas e passam bem. “Foram casos leves e os pacientes já estão bens, não precisaram de internação e os sintomas passaram em poucos dias. Foram casos que evoluíram muito bem”, comenta Andreia Negri Reis, gerente de vigilância epidemiológica.

Dhoje Interior

Em Rio Preto, a campanha realizada para a vacina de crianças de prevenção ao sarampo superou a meta recomendada pelo Ministério da Saúde que é de 95%. Na cidade, 97,5% das crianças de 1 a 4 anos receberam a vacinação, o que afasta a possibilidade de uma epidemia. “É importante a gente conhecer a doença, que a gente saiba os sinais dos sintomas da doença e que os profissionais da saúde estejam alerta a doença, mas não é nenhum motivo para preocupação em termos da população, pois uma epidemia não vai acontecer”, comenta Maurício Lacerda Nogueira, chefe do laboratório virologia da FAMERP
De acordo com Nogueira, os jovens do sexo masculino é a população que mais deixa de realizar a imunização, pois eles, geralmente, não procuram uma unidade de saúde para regularizar a vacinação. A imunização de toda a população é importante, principalmente para preservar pessoas que não possam receber a vacina, como crianças com menos de um ano e paciente imunodeprimido. “Isso é o que nos preocupa mais, pois é uma população mais suscetível por não ter a vacina indicada por causa da idade. Precisamos de todos estejamos vacinados para bloquear a circulação para não atingir essas crianças”, ressalta.

A vacina tríplice viral faz parte faz parte do calendário de rotina de crianças, de adolescentes e de adultos. Pessoas que tenham de 1 a 29 anos, assim como os profissionais da saúde precisam ter as duas doses da vacina, já aquelas que têm de 30 a 58 anos precisam ter pelo menos uma dose. Michela Dias Barcelos, gerente e imunização, comenta da importância de se manter a carteira de vacinação em dia.

“A gente que convocar toda a população para ir a uma unidade de saúde. É bom que a pessoa tenha a ação preventiva para ver se a carteira de vacinação está em dia. Isso para tranquilizar a gente que trabalha com aqui na secretaria e a pessoa para saber que está tudo certo com a família dela”, comenta Barcelos.

Entre os sintomas do sarampo está a febre e manchas vermelhas pelo corpo que podem vir acompanhados de tosse, coriza ou conjuntivite. Se a pessoa estiver com esses sintomas precisa procurar atendimento médico imediatamente para realizar o tratamento necessário.Conteúdo especial: Leandro BRITO

 

Da REPORTAGEM