DIA DAS MÃES: Jornalista, Fernanda Peixe tem três filhos e a sorte de passar o Dia das Mães em família

Fernanda Peixe é uma mãe extremamente ativa. Jornalista, casada com o fotógrafo Ricardo Boni, responsáveis pela BoniPeixe Comunicação, têm três filhos, e a felicidade de passar o Dia das Mães com toda a família reunida. Desde o começo da pandemia, ela mantém Léo, 15, Luca, 8, e Liz, 6 meses, em isolamento social. Mesmo com o retorno das aulas presenciais, eles estudam pela Internet e ela e o marido fazem Home Office.
Ela conta que sempre quis ter três filhos. Ano passado, ao fazer um tratamento e parar de tomar a pílula, ela ficou grávida da Liz. Conta que foi um período muito difícil. Seu pai passou por uma cirurgia e, há pouco tempo, ela perdeu o sogro para a Covid 19. A chegada de Liz “foi uma luz. Esperança. Trouxe luz no meio dessa escuridão que tem sido a pandeia”. “Foi uma gravidez solitária. Não teve chá de bebê. O meu marido não acompanhou as consultas. Só no último ultrassom”, revela.
Segundo ela, a partir do nascimento do bebê, “tudo fez sentido”. “Nesse período difícil, de tanta falta de afeto, de contato com quem a gente ama, a Liz veio como uma luz”, explica. A morte do sogro foi devastadora para a família. “E ter a Liz um bebê é o que trouxe alegria para a minha sogra, para minhas cunhadas, para toda a família”.
Outra dificuldade de mãe é a adolescência. Léo fez 14 anos no começo da pandemia. Ela tem conseguido manter o menino em casa, mesmo com 15 anos e toda a adolescência pela frente. “A gente tem conseguido por causa da nossa condição”. Ela diz que desde quando teve o primeiro filho, fez opção pelo Home Office para ficar mais perto dele. Para ela, esse modelo de trabalho não é novidade. Mesmo assim, as vezes fica difícil separar as coisas dentro de casa.
Ela lamenta que esse será o segundo Dia das Mães sem um abraço na mãe. “Sem abraçar e receber o abraço”. “Ela tomou a primeira dose e a gente entende que isso é temporário e necessário”. Para ela, “paciência e amor é mais que tudo. Hoje em dia a gente se isolar, e respeitar o distanciamento é um ato de maior”. Para isso, as chamadas de vídeo têm sido essenciais. “A família acompanha o crescimento das crianças pelas chamadas de vídeo”, arremata.
Só agora ela descobriu a importância de um passeio no bosque ou no Shopping com as crianças.

DA REPORTAGEM

Dhoje Interior