Delegado revela detalhes do assalto a prédio de luxo

A quadrilha que assaltou um prédio de luxo em 3 de julho, se hospedou três dias antes em um hotel de Rio Preto e também alugou um apartamento, pagando adiantado, no mesmo edifício. Para o aluguel foi utilizada uma identidade falsa, em que o bandido se identificou como um executivo da Petrobrás.

As informações foram divulgadas pelo delegado Paulo Buchala Junior, responsável pela investigação, durante coletiva na manhã desta quinta-feira (20), na sede da Deic (Divisão Especializada de Investigações Criminais).

Dhoje Interior

Após alugar o apartamento no edifício Ulisses Jamil Cury, localizado no bairro Santos Dumont, os criminosos usaram a desculpa de que havia problemas na parte elétrica ou encanamento e que para o reparo chamariam profissionais de sua confiança.

A presença deles no prédio era para observar o comportamento e rotina dos moradores, afim de definir o melhor momento para o ataque.

De acordo com o delegado, cada um integrante da quadrilha exercia uma função. “O mentor escolhia os edificios, através de anúncios de locação de imóveis de alto padrão. Tinha o papeleiro, responsável por produzir a documantação falsa, quem intermediava a negociação com o proprietário do imóvel e o chaveiro para abrir os apartamentos que seriam roubados”, explicou.

A Deic de Rio Preto identificou sete integrantes da quadrilha. A maioria dos envolvidos foi presa em Santos, litoral paulista, na semana passada. Com a prisão, parte dos objetos roubados foram recuperados e serão devolvidos às duas famílias vítimas dos roubo.

A investigação teve início há dois meses e apontou que nesse período o grupo realizou mais cinco assaltos. A Polícia Civil acredita que há mais integrantes e, por isso, seguirá com a investigação. A atuação da quadrilha era na baixada santista, grande São Paulo e interior do estado, desde 2018.

Os bandidos estão presos no CDP (|Centro de Detenção Provisória) na baixada santista.

Por Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior