De 16 cidades na região, apenas duas perdem empregos no primeiro semestre

O DHoje traz uma reportagem exclusiva sobre a geração de empregos na região. Com base nos dados do mês de junho do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados na semana, foi possível realizar um balanço sobre a empregabilidade neste primeiro semestre de 2021.

A maioria das cidades vizinhas à Rio Preto conseguiu apresentar um índice positivo na geração de empregos. Mirassol foi a que teve melhor desempenho. Foram 4.056 contratações e 3.281 demissões nos seis primeiros meses do ano, resultando na criação de 775 posto de trabalho.

Dhoje Interior

No mesmo período do ano passado, a cidade tinha um déficit de 327 vagas perdidas. O comércio foi o que teve o melhor saldo, com 355 empregos gerados, mas a indústria apresentou o maior número de contratações com 1.478.

“Estamos muito felizes com estes dados positivos. Mostra que a nossa economia local está voltando a crescer. Muitos empresários se reinventaram, se fortaleceram e ganharam força para realizar os investimentos necessários em seus empreendimentos”, declarou o prefeito de Mirassol, Edson Ermenegildo.

Para o prefeito, a vacinação foi um dos principais fatores possibilitaram a retomada econômica. “Alguns fatores que melhoraram a geração de empregos foi a retomada da economia de forma segura, em meio a pandemia da Covid-19. Com o aumento da população imunizada e a diminuição da circulação do vírus, estamos muito otimistas com o aumento na geração de empregos para o 2º semestre”, comentou.

A Prefeitura de Mirassol também informou que, em parceria com o Posto de Atendimento ao Trabalhador, está lançando no site www.mirassol.sp.gov.br o Banco de Currículos, aonde o trabalhador vai poder cadastrar de forma on-line seu currículo e o empresário terá a oportunidade de cadastrar a vaga de emprego. O objetivo é fortalecer o elo entre empregador e trabalhadores.

Quem também se destacou no Caged neste primeiro semestre foi Cedral, que teve 2.550 admissões e 1.845 demissões, criando 705 postos de trabalho. O carro chefe no município foi o setor de serviços, responsável por 85% dos empregos criados no período.

“Com o atual cenário de pandemia era difícil prever aumento nos empregos, porém as ações adotadas pela administração foram efetivas neste momento, e Cedral, que já estava sendo procurada pelas empresas, agora é ainda mais. Temos observado uma crescente demanda, principalmente no setor industrial. Busco sempre incentivar e facilitar a vinda de novas empresas e a expectativa é que no segundo semestre algumas possam já estar operando”, afirmou o prefeito de Cedral, Paulo Ricardo Beolchi, o Janjão.

Das 16 cidades analisadas, apenas Bady Bassitt e Uchoa tiveram mais demissões do que admissões. Bady contou com 1.085 contratações e 1.194 desligamentos, tendo 109 vagas perdidas. A queda foi puxada pelo setor de construção, que teve 315 postos perdidos. Já Uchoa, com 78 vagas perdidas, teve a indústria como setor com o pior desempenho, com 84 postos perdidos.

Assim como Mirassol e Cedral, Olímpia (545), Nova Granada (544), Mendonça (332), Monte Aprazível (322), Tanabi (314), Bálsamo (301), Guapiaçu (275), Ubarana (249), Mirassolândia (239), Urupês (185), Ipiguá (153) e Potirendaba (100) tiveram o saldo positivo.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior