Covas e Boulos disputam 2° turno em SP

São Paulo, Avenida Paulista

Os candidatos Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) vão disputar o segundo turno das eleições em São Paulo. Covas teve 32,85% dos votos válidos e Boulos teve 20,24% dos votos válidos.

Até agora, foram apurados 99,92% das urnas.

Dhoje Interior

Covas, candidato da coligação Todos por São Paulo (PP/MDB/Podemos/PSC/PL/Cidadania/DEM/PTC/PV/PSDB/PROS), busca a reeleição ao cargo de prefeito, tem 40 anos e ensino superior completo. Ele declarou R$ 104,9 mil em bens.

Boulos, candidato da coligação Pra Virar o Jogo (PCB/PSOL/UP), é professor de ensino superior, tem 38 anos e ensino superior completo. Ele declarou R$ 15,9 mil em bens.

Com a maioria das urnas apuradas indicando um segundo turno entre o atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) e o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, ambos se pronunciaram para agradecer os eleitores e apontar os rumos das próximas duas semanas de campanha.

Covas
Primeiro colocado na primeira etapa da votação, Covas disse que o resultado das urnas mostrou uma preferência do eleitorado paulistano pela continuidade da gestão. “São Paulo não quer retroceder. Estamos demonstrando que nós somos a realidade e a esperança. É dessa forma que nós nos apresentamos e tivemos essa resposta favorável nas urnas nesse domingo”, enfatizou ao discursar do comitê de campanha na região dos Jardins, zona oeste da capital paulista.“Político precisa ter lado. E o nosso lado é o lado da tolerância, do apreço aos valores democráticos, do respeito a diversidade religiosa, do respeito a lei e a ordem na cidade de São Paulo”, disse o prefeito sobre os valores que pretende defender.

Boulos
Boulos destacou a atenção que pretende destinar às regiões periféricas da cidade. “Para mim, a periferia e as pessoas que vivem aqui não são estatísticas, não são números, são gente com trajetórias e histórias”, enfatizou no discurso feito no Campo Limpo, zona sul paulistana, onde vive. “Nós queremos e vamos inverter prioridades, tirar a cidade do abandono, tirar a periferia do abandono”, acrescentou.

“O que mais me contagiou nesse primeiro turno das eleições foi que a nossa campanha mostrou que é possível voltar a fazer política sem desistir dos sonhos, com esperança, com brilho nos olhos, com verdade”, disse ao comentar o resultado do primeiro turno que, segundo ele, “surpreendeu muita gente”.

AGÊNCIA BRASIL