Confira “Nos Bastidores da Política deste sábado (4)

Fortalece

As transferências de vereadores de partidos, nesta janela aberta pela Justiça Eleitoral, fortaleceram a base do prefeito Edinho Araújo (MDB), na Câmara. Agora, a base governista tem 10 vereadores, ou seja, do PP, Patriota, PSD e do próprio MDB. O prefeito conta ainda com o apoio dos vereadores do PL, Fábio Marcondes e Anderson Branco. Exceto o PL, que ainda não decidiu qual candidato a prefeito irá apoiar nas futuras eleições, os citados acima também estarão na aliança de Edinho.

Dhoje Interior

Dornelas no MDB

Depois de muita conversa para não melindrar o quadro de filiados que vai disputar uma vaga na Câmara em outubro, a Executiva do MDB decidiu que o vereador Jean Dornelas é o novo integrante do partido. “Já está filiado”, declarou o membro da Executiva Jair Moretti. A bancada do MDB agora tem quatro vereadores: Jean Charles, Celso Peixão, Cláudia de Giuli e Jean Dornelas. O novo emedebista, impulsionado por programa sobre direitos dos consumidores na TV, fala em obter mais de sete mil votos.

Eleger quatro

Com as novas adesões, já que Celso Peixão e Cláudia de Giuli se filiaram recentemente ao partido, Jair Moretti diz que a expectativa é que o MDB eleja quatro vereadores nas eleições em outubro. Para eleger quatro, portanto, a chapa de pré-candidatos emedebista precisa obter cerca de 42 mil votos. “Acho que dá para eleger quatro, no mínimo”, acredita Moretti. Peixão e Cláudia de Giuli, a princípio, eram contra quatro vereadores na chapa de candidatos, porém, aceitaram a nova composição.

 

Fato

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, defendeu o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no combate à pandemia da Covid-19, com base em dados técnicos. Na avaliação de Maia, o ministro tem conseguido enfrentar as dificuldades mesmo sendo desautorizado pelo presidente Bolsonaro.  “Toda vez que ele (Bolsonaro) vem a público criticar o ministro, mais atrapalha do que ajuda, mas ele tem toda paciência ou equilíbrio para fazer o que tem que ser feito”, diz Maia.

Sorte lançada

Com o término das transferências, que se encerram hoje, a sorte dos pré-candidatos a vereador está lançada. Isso significa que candidatos com fraco desempenho nas urnas poderão conquistar cadeiras no Legislativo, enquanto outros, com votação expressiva, correm o risco de fora. Aí a ‘maldade’ é do quociente eleitoral. Em Rio Preto, estima-se em 14 mil votos para qualquer sigla fazer uma cadeira. César Gelsi (PSDB), por exemplo, já ficou duas vezes de fora, porque a chapa não atingiu o quociente.

DC na disputa

O presidente do Democracia Cristã (DC), Adilson Feliciano, informou que o partido vai lançar chapa de candidatos a vereador nas próximas eleições. Cauteloso, Feliciano usou “até” 26 candidatos, ou seja, não tem certeza ainda se irá conseguir o número de filiados interessados para lançar chapa completa. O DC, segundo ele, também terá candidato a prefeito. “O nome só será conhecido na convenção do partido”, diz. O DC é o extinto PSDC, que tem como presidente nacional, José Maria Eymael.

Fazer o quê?

Parte do povo é indisciplinado, mesmo em período de pandemia, como acontece com o coronavírus. A academia ao ar livre, no lago 3 da Represa Municipal, teve que ser isolada pela Prefeitura para evitar possível contaminação pelo coronavírus. Grande número de pessoas, à noite, se aglomera em torno dos aparelhos para se exercitar, sem nenhum tipo de cuidado. O contato direto favorece a contaminação por saliva ao falar. A fita, no entanto, foi rompida por um espertalhão. Fazer o quê?

Paciência  

Não é nenhuma novidade que os comerciantes estão desesperados para que o poder público autorize a reabertura das lojas. A expectativa é que isso possa ocorrer na próxima reunião com o prefeito Edinho Araújo (MDB), terça-feira, dia 7. Como a situação é grave por causa do vírus chinês, o ideal é ter paciência, porque o prazo tem tudo para se estender até o dia 15 de abril. Se a restrição se encerrar nesse prazo, ótimo, mas não será nenhuma novidade se a medida for estendida por mais um período…

Por Venâncio de MELLO