Confira ‘Nos Bastidores da Politica’ desta quarta-feira (13)

Interditado

A ação de Anderson Branco (PL) em visitar covas no Cemitério da Vila Formosa, semana passada, em São Paulo, sem nenhuma medida de segurança, está custando caro para ele. Por determinação do presidente Paulo Pauléra (PP), o gabinete dele foi interditado até que saia o resultado para covid-19. Ao se mostrar destemido, será que Branco acha que já está reeleito? O gabinete de Renato Pupo (PSDB) também foi interditado, já que um parente dele contraiu coronavírus. Ambos participaram da sessão de ontem pela internet.

Dhoje Interior

Vai passar…

Apesar da pressão de alguns setores que defendem a reabertura do comércio e de outras atividades, nada muda até 31 de maio. É o que sinaliza Edinho Araújo (MDB), que aderiu ao decreto do governo do estado e às orientações dos profissionais da saúde. Segue firme, portanto, em sua determinação de não brincar com a pandemia que é muito séria. O prefeito tem pedido paciência à população, porque sabe que se afrouxar as medidas restritivas, o vírus chinês propaga sem piedade. “Vai passar”, destaca, otimista.

Severas

A Prefeitura deveria adotar medidas severas contra proprietários de áreas ou de lotes localizados em bairros populosos. Enquanto eles seguram as áreas à espera de valorização, moradores sofrem com matagal, lixo e insetos de várias espécies – alguns perigosos, por exemplo, escorpiões –  que proliferam trazendo ainda mais preocupação. Se os proprietários ao menos tivessem o zelo de manter suas áreas ou lotes limpos, não haveria a cobrança da população e nem geraria conflito com o poder público.

Imposto

A medida eficaz para obrigar os proprietários a construírem ou venderem suas áreas seria elevar de forma exorbitante o valor do IPTU. Hoje, o valor do imposto cobrado pelo metro quadrado de áreas vazias já é maior que o das construções, no entanto, parece que ainda é pouco porque a maioria dos proprietários insiste nesse tipo de especulação. O secretário de Serviços Gerais, Ulisses Ramalho, informou que a Prefeitura tem notificado e multado com frequência proprietários que insistem em não limpar suas áreas ou lotes.

Farpas

A campanha eleitoral está longe de começar e já tem dirigentes partidários trocando farpas por causa de vídeos na rede social. Se o calendário eleitoral for mantido pelo TSE – existe a possibilidade de ser adiado por causa da pandemia – a campanha só começará em 16 de agosto. Adílson Feliciano, presidente do DC, por exemplo, acusou o presidente do Patriota, Ulisses Ramalho, de pedir a sua cabeça ao todo poderoso José Eymael. Ramalho, nega. De qualquer forma, é a democracia respirando durante essa maldita pandemia.

Estudo

O vereador Marco Rillo (Psol) sempre defendeu a ocupação das áreas vazias. Lembrou que estudo da Unesp revelou que existem 11 milhões de metros quadrados ociosos. O vereador declarou que o ideal seria o Executivo parar de incluir novas áreas no perímetro urbano e obrigar os especuladores a construírem nessas áreas para que os espaços sejam ocupados. “É uma especulação cruel”, diz. Rillo frisa que isso penaliza as pessoas que têm de morar cada vez mais longe dos equipamentos sociais, como escolas e postos médicos.

Mais ônibus

O plenário aprovou requerimento de Celso Peixão (MDB), na sessão de ontem, que cobra dos órgãos competentes de trânsito para obrigar as empresas do transporte coletivo a disponibilizarem mais ônibus com o objetivo de evitar superlotação nos coletivos. “A nossa preocupação é com a pandemia, já que não pode ter aglomeração para evitar a propagação do vírus”, diz o vereador. Como algumas atividades foram excluídas das medidas restritivas, Peixão disse que o número de passageiros aumentou e o de ônibus, não.

Internado

Liberato Caboclo continua internado no Hospital de Base, desde terça-feira da semana passada. O ex-prefeito foi internado por causa de uma crise de asma, inclusive, fez teste para covid-19, que deu negativo. O advogado Sérgio Parada, incumbido pela família de passar as informações à imprensa, disse que ele está bem e só aguarda receber alta da equipe médica. Ao ser liberado, o ex-prefeito vai continuar em quarentena em seu apartamento. Por ser médico e estudioso da área, o ex-prefeito sabe que o novo coronavírus pode ser letal.

Por Venâncio de MELLO