Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta quarta-feira (06)

Extremismo

Pedro Roberto Gomes (Patriota) criticou o grupo de manifestantes que apoia a volta do extinto AI-5, instituído no regime militar que motivou, por exemplo, a cassação de mandatos de parlamentares que se posicionavam contra à ditadura. “Pode divergir, mas tem de respeitar o que o outro pensa”, ponderou. O vereador criticou ainda as agressões do grupo, que apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), contra jornalistas do Estadão, no último domingo, em Brasília. “Jornalista também é um trabalhador”, completou.

Dhoje Interior

Acelera

Notícia nada boa para os empresários que esperam a reabertura do comércio e de outras atividades no curto prazo. Como a maioria da população não respeitou o isolamento social, como determina o decreto estadual (expira dia 10 de maio), a propagação do coronavírus voltou a acelerar em Rio Preto, o que preocupa a área da saúde. As medidas são adotadas com base no número de casos de contaminação. Diante do aumento de casos, é pouco provável que Edinho Araújo (MDB) irá recuar nas restrições, a partir de 11 de maio.

À risca

Se a maioria da população tivesse seguido à risca o isolamento social, evitar aglomeração, manter distância entre uma e a outra pessoa, lavar as mãos com frequência e o uso de álcool gel, o gráfico, que mostra a ascendência do número de contaminação na cidade, já estaria com a curva na descendência. Agora, não adianta pressionar o poder público para reduzir as medidas restritivas. Se com elas, o vírus que chinês avança, imagine se liberar geral? É o tal negócio, o ideal seria cada um cuidar de si mesmo, para não ser infectado.

Imploram

As autoridades da área da saúde de São Paulo estão implorando para que as pessoas respeitem o isolamento social, como medida de barrar o avanço do coronavírus. Como os rastreamentos mostram que o isolamento está abaixo de 50% na região metropolitana da Capital – o ideal seria acima de 70% – as contaminações pela covid-19 dispararam. Informação do governo do estado revela que 81% dos leitos hospitalares estão ocupados. Os leitos das UTIs estão perto do limite e a recomendação das autoridades é: “Fique em casa”.

Profetiza

O presidente do MDB, Pedro Nimer, diz que se não ocorrer controle drástico com o propósito de reduzir a infecção pelo covid-19, profetiza que as eleições correm o risco de não ser promovidas em outubro. Nimer diz que o ministro Luís Roberto Barroso, que irá assumir a presidência do TSE no fim de maio, terá de sinalizar o que pretende fazer. Ou seja, se vai manter o processo eleitoral, como prevê o calendário eleitoral, ou se postergará o processo para novembro. “Tudo vai depender da decisão do ministro Luís Barroso”, diz.

Apoio de peso

O empresário Antônio Pereira (PMN), o Cebolão, está animado com sua pré-candidatura a prefeito. No começo de junho, segundo ele, desembarca na cidade um empresário estrangeiro que irá firmar uma parceria para apoiá-lo na disputa pela Prefeitura. O empresário, revela o pré-candidato, está disposto a investir entre 500 a 700 milhões de dólares no setor do agronegócio. “Ele atua em 30 países na área de exportações e vai me apoiar”, conta. Cebolão, como é conhecido no meio político, não declinou o nome do empresário.

 

Replicando  

Anderson Branco (PL) arrumou uma ‘briga’ na rede social, por replicar uma publicação que critica o governador João Dória, por causa das medidas restritivas para evitar a propagação do vírus. Segundo o texto, Dória vai trazer pacientes da covid-19 para o interior, a fim de aumentar o contágio para justificar a quarentena, já que o índice de mortes é zero. O texto insinua ainda que o governador tem de justificar os gastos e abusos com o dinheiro público. A maioria dos internautas diz que o vereador estaria replicando fake news.

Repúdio

A moção de repúdio contra as transferências de pacientes da covid-19 para o interior provocou debates ásperos, na sessão de ontem. Jean Dornelas (MDB), autor da moção, rechaçou a possibilidade de transferências para o interior. Marco Rillo (PSOL) se posicionou contra a moção. Segundo ele, os pacientes deverão ser encaminhados para cidades próximas à Capital. “Como cristão, temos que construir um mundo solidária”, ponderou. Pedro Roberto Gomes (Patriota) e Renato Pupo (PSDB) também criticaram a moção de repúdio.

Por: Venâncio de MELLO