Com novos contratos, Parque Tecnológico de Rio Preto chega a 52 empresas

Foram assinados nesta quinta-feira, dia 19, pelo prefeito Edinho Araújo (MDB) e empresários, na sede do Parque Tecnológico, os contratos com as seis empresas selecionadas e aprovadas no primeiro ciclo do Edital de Fluxo Contínuo de 2022, aberto em fevereiro. A assinatura é a parte final de um processo de seleção que teve seis fases, da abertura do ciclo até a homologação dos contratos.

As seis empresas foram escolhidas de acordo com os critérios técnicos adotados pela equipe de avaliação, como o nível de maturidade e as características do projeto. As empresas vão integrar o Parque Tecnológico por meio das Incubadoras Karina Bolçone e Prof. Rui Dezani, e também no Centro Empresarial. A previsão é de investimentos da ordem de R$ 3,5 milhões e abertura de 32 novos postos de trabalho.

Com as assinaturas de hoje, o Parque Tecnológico de Rio Preto passa a atender 52 empresas em seus quatro ambientes de inovação, sendo 11 na Incubadora Rui Dezani, 18 na Incubadora Karina Bolçone, 10 no Centro Empresarial e 13 no Distrito Tecnológico.

Por segmentos, 34 empresas são da área da Tecnologia da Informação e Comunicação, 6 de Biotecnologia, 5 de Tecnologia Biomédica, 3 de agronegócios, 2 de Química Fina, 1 no setor joalheiro e uma na área de Design.

Os contratos foram assinados com as empresas InputDesign, especializada em design e engenharia de produtos; Spin-off-Digo Maker, consultoria, desenvolvimento e manufatura de projetos de hardware; Beyou Smile, startup de alinhadores ortodônticos digitais; Vectora Nanotherapeutics, desenvolvimento de nanossoluções e de insumos biofarmacêuticos de alto padrão para terapias inovadoras; Falcão Tecnologia, sensoriamento Iot com ênfase em I.A.; Ticom, transformação digital.

O prefeito Edinho Araújo saudou a chegada das novas empresas e ressaltou as políticas públicas de apoio ao desenvolvimento tecnológico na cidade. “Serão referência e protagonistas neste processo de desenvolvimento sustentável a médio e longo prazos”.

Para o vice-presidente do Conselho Gestor do Parque Tecnológico Gilberto Mariano, as novas empresas que passarão a compor o ecossistema de inovação de Rio Preto terão melhores condições de crescimento, ao consumir os serviços oferecidos pelo Parque bem como se beneficiar da interação com as demais empresas, instituições de ensino, consultores e mentores. “A infraestrutura oferecida possibilita a consolidação dos negócios e o avanço da área da inovação na cidade, com reflexos em toda a região metropolitana”.

A secretária interina do Planejamento Márcia Silvério destaca a expansão do número de empresas da área tecnológica em Rio Preto. “Isso reafirma a vocação da cidade para ser um polo de desenvolvimento de novas tecnologias, serviços e equipamentos, além de oferecer emprego e renda”.

Da Redação