Com lei seca, PM flagra três embriaguez ao volante

Três motoristas foram flagrados pela Polícia Militar dirigindo alcoolizados em Rio Preto, entre as 21 horas e as 23 horas desta sexta-feira (17). Só um motorista foi preso. Os três casos ocorreram no primeiro dia em que entrou em vigor a chamada “lei seca” para evitar aglomerações e tentar frear o número de casos de coronavírus, instituida através de decreto municipal, publicado na quinta-feira (16). A norma determina a proibição de venda de bebidas alcoólicas em todos os estabelecimentos comerciais do município, entre 20h e 6h da manhã de segunda a sexta-feira e durante as 24 horas aos sábados e domingos.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, por volta das 22h30, um aposentado, de 61 anos, bateu em uma moto ao transitar de marcha ré, na avenida Mirassolândia, no Eldorado, e depois de causar o acidente, tentou fugir. No entanto, ele foi detido por populares, que acionaram a Polícia Militar.

Dhoje Interior

Ao fazer a abordagem, os policiais perceberam sinais de embriaguez como voz pastosa, fala desconexa, forte odor etílico, olhos avermelhados e andar cambaleante. O aposentado recusou fazer o teste do bafômetro e os policiais realizaram pesquisa que indicou que ele não possuía CNH.

O aposentado foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Tangará por apresentar uma lesão no olho, provavelmente em decorrência do acidente. Ele também se negou a fazer o teste de sangue para medir a dosagem alcóolica. Levado à Central de Flagrantes, ele foi submetido a exame clinico por um médico legista e preso por embriaguez ao volante, o caso foi registrado como , fuga de local de acidente e dirigir sem permissão ou autorização. O aposentado também se recusou a assinar os documentos do flagrante.

O motociclista foi socorrido pelo Resgate do Corpo de Bombeiros e levado a UPA Norte, onde permaneceu em observação com suspeita de fratura no tornozelo.

Por volta das 21 horas, ocorreu o primeiro flagrante, na avenida Nadima Damha, no Jardim Fuscaldo. Segundo o boletim de ocorrência, uma picape Fiat Toro e uma moto Honda CG 152 bateram na rotatória, mas nenhum dos motoristas assumiu a responsabilidade por causar o acidente.

A PM esteve no local e realizou o teste do bafômetro nos dois motoristas, sendo que o resultado deu negativo para o condutor da Toro, um empresário, de 61 anos, e a testagem do motociclista, um construtor, de 48 anos, apontou a concentração 0,83 miligramas de álcool por litro de ar alveolar pulmonar. Encaminhado à Centra de Flagrantes, o construtor permitiu a retirada de sangue para a contraprova, sendo levado para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Tangará.

O condutor da moto sofreu escoriações na mão e se queixou de dores no pé esquerdo. O caso foi registrado como embriaguez ao volante e lesão corporal culposa na direção de veículo automotor. Já o empresário nada sofreu.

No terceiro caso, um porteiro, de 50 anos, dirigia um veículo, Chevrolet Corsa, pela Brasilusa, na Vila Joaquim, quando, por volta das 23 horas, perdeu o controle da direção e bateu em três motos e um carro estacionados na via. A PM foi acionada e constatou que o motorista apresentava sinais característicos de embriaguez, como fala pastosa, olhos vermelhos, odor etílico e andar cambaleante.

O porteiro, que não portava a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) foi levado à Central de Flagrantes e permitiu a retirada de sangue para o exame de dosagem alcoólica. O veículo foi apreendido por estar com o licenciamento atrasado.

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior