América e Tanabi querem mudar regras de exames da Série B

Os clubes que disputarão a Segunda Divisão do Campeonato Paulista, popularmente conhecida como “Bezinha”, divulgaram um manifesto contra alguns pontos no protocolo para inicio da disputa da competição. O principal deles seria o fato de os testes PCR serem de responsabilidade dos clubes participantes, que deverão informar o laboratório escolhido e enviar os resultados para a Comissão Médica da Federação Paulista de Futebol (FPF).

“Hoje cerca de 80% não teriam condições de arcar com essas despesas de testes semanais. Numa pesquisa rápida, em caso de 35 testes semanais, o custo chegaria a R$ 7.000,00 (sete mil reais) por semana, os clubes tem direito a cota, afinal, somos igualmente como os clubes da série A1, A2 e A3, filiados a Federação, cumpridores dos nossos deveres como federados, logo temos os mesmos direitos, ou estamos errados quanto a isso?”, diz trecho do manifesto. No protocolo, a FPF só arcaria com dois lotes para 38 pessoas.

Dhoje Interior

Foram 21 clubes que assinaram o documento, incluindo o América de Rio Preto e o Tanabi, representantes da região na competição. Outro ponto questionado foi a obrigação de troca de uniformes durante o intervalo das partidas. “Ora, se todos os atletas, comissão técnica e envolvidos no evento estão testados e comprovadamente não estão contaminados, qual a necessidade dessa troca? Muitos times possuem apenas um jogo de uniforme numero 1 e um jogo de uniforme numero 2, teremos 2 jogos por semana, acredito que isso poderia ser revisto”, diz o manifesto.

O presidente do América, Luiz Donizete Prieto, o Italiano, afirmou que o clube já acertou uma parceria com um laboratório como forma de minimizar os gastos com os exames.

“Contratamos um médico especialista na área recentemente para fazer todo o acompanhamento de nossos atletas”, comentou. Segundo ele, mesmo que o protocolo não seja revisto pela FPF, o Rubro terá condições de jogar a “Bezinha”.

O diretor de futebol do Tanabi, Amim Júnior também confirmou que o clube irá assegurar a vaga na Segundona. “Se não houver uma ajuda da Federação fica difícil e inviável atender todos esses requisitos. Não estamos querendo o início da competição apenas pelo esporte, mas sim pelos demais funcionários do clube que dependem da atividade”, afirmou.

Procurado pela reportagem, a FPF disse por nota que não foi notificada oficialmente por nenhuma equipe.

Copinha

Depois de voltar a receber jogos da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2020, o Tanabi confirmou que se candidatou para ser sede do campeonato mais uma vez em 2021.

“Tudo saiu bem, o pessoal da região gostou bastante e foi tudo muito bom. Além disso, queremos utilizar a competição como um laboratório para os nossos jogadores”, afirmou Amim.

Na ocasião, o Índio do Noroeste recebeu Votuporanguense, Fortaleza e Brasil de Pelotas, se classificando em segundo lugar com duas vitórias e uma derrota. No mata-mata, a equipe acabou sendo derrotada pelo Joinville por um a zero na fase seguinte.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior