Civil investiga se autista morreu por causa de maus-tratos

A Polícia Civil de Rio Preto deve instaurar inquérito para apurar as circunstâncias da morte de uma mulher de 40 anos, que sofria de autismo.

Ela veio a óbito na madrugada desta terça-feira e o boletim de ocorrência foi registrado por uma funcionária do Hospital de Base, onde a paciente estava internada desde janeiro deste ano.

Dhoje Interior

Conforme o registro policial, o irmão da vítima foi visitá-la no dia 1º do mês passado e descobriu que ela apresentava sinais de maus-tratos, com queimaduras nas pernas, associadas a escoriações nos braços e fraqueza.

Segundo ele, como era totalmente dependente, a irmã morava com uma tia, no Santo Antônio, na Região Norte da cidade.

Como passou a ficar prostrada, sem ingerir qualquer líquido, foi entubada no HB, no último dia 16, e encaminhada para a enfermaria, oito dias depois.

Por volta das 2h10 desta terça-feira, a paciente morreu e seu corpo foi encaminhado para autópsia no Instituto Médico Legal (IML) rio-pretense.

Daniele JAMMAL