Cerca de 500 idosos participam de Encontro da Longevidade Ativa

A Associação das Damas de Caridade – Lar de Fátima, por meio do Projeto Trilhando a Longevidade Ativa, em parceria com a Secretaria de Assistência Social (Semas) e Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI) – realizou nesta sexta-feira (26) no Clube do Lago o Encontro para Longevidade – Envelhecimento Saudável e Ativo.

O evento reuniu cerca de 500 pessoas, incluindo idosos atendidos pelo Projeto e pelos CRAS, seus familiares e demais integrantes da comunidade idosa.

Dhoje Interior

“Nós do Trilhando e todos que estão aqui hoje entendemos que é fundamental trazer conteúdo e informação para essa geração que participa de forma ativa de todos os eventos, sendo presenciais ou remotos, em busca de interação e inclusão social para um envelhecimento saudável e ativo”, comentou o presidente do Lar de Fátima Ricardo Sanches.

Na ocasião, o público recebeu orientações sobre os cuidados com a saúde e benefícios da prática do exercício físico, oferta de atividades de práticas corporais, como lian gong, ritmos, atividades de artes e memória, orientações nutricionais, ambientais e esportivas, lanche, sorteio de brindes e música ao vivo.

A titular da Assistência Social Helena Marangoni disse estar feliz com o momento de reencontro da comunidade idosa. “Alegria muito grande por poder participar desse reencontro, com a perspectiva de retomar as atividades com a pessoa idosa, de maneira segura, para que possam interagir novamente após um momento tão delicado de isolamento social com vistas ao cuidado e qualidade de vida”.

O evento contou com a participação de estandes das Secretarias da Mulher – com os departamentos da Pessoa com Deficiência e Raça e Etnia, Saúde, Esporte, Agricultura e Meio Ambiente, além do Instituto Rio-pretense dos Cegos Trabalhadores, Delegacia de Defesa da Mulher, cursos de saúde da UNIP – psicologia e nutrição, e parcerias com empresas privadas.

“Nosso objetivo ao concentrar os serviços em um único lugar, em parceria com faculdades, empresas privadas e poder público, foi de proporcionar momentos que estimulam uma melhor qualidade de vida a esse público”, comentou a vice-presidente do CMDI Irene Alves.

Da REDAÇÃO