Casos suspeitos de dengue por dia triplicam em Rio Preto neste ano

A Secretaria de Saúde de Rio Preto divulgou nesta segunda-feira (3) o boletim mensal com os dados da dengue no município. A cidade chegou a 6.682 casos desde o início do ano, 332 sendo confirmados neste mês de abril. Além disso, outros 6.703 casos estão em investigação e 3.272 foram descartados.

Rio Preto totaliza 16.837 notificações de pacientes com suspeitas de dengue, número maior do que o ano de 2020 inteiro, que teve 11.542 notificações. A média na cidade é de 141 casos suspeitos atendidos por dia. No mesmo período do ano passado a média era de 55 casos atendidos por dia. Desde que começou a funcionar no dia 3 de março, o Centro de Hidratação já atendeu 2.670 pacientes confirmados com dengue, uma média de 46 atendimentos por dia.

Dhoje Interior

A Saúde também confirmou o primeiro óbito por dengue no ano, referente ao mês de março. Desde maio de 2020 a cidade não registrava óbitos por dengue. “É preciso levar em conta que o ano passado foi atípico, muitas pessoas deixaram de procurar atendimento por conta da Covid-19 e os números ficaram baixos. Ainda assim a situação é preocupante, já que os nossos agentes estão encontrando muitas larvas dentro das residências, principalmente em ralos e na bandeja que fica atrás das geladeiras”, afirmou Luiz Feboli Filho, gerente da Vigilância Ambiental.

De acordo com ele, a Vigilância não vê risco de uma nova epidemia como em 2019. “O vírus que está circulando é o mesmo daquela época, então não esperamos um surto como naquele ano. Só que se continuarmos com uma incidência alta de mosquitos circulando e uma nova variante surgir, o número de casos pode disparar”, comentou.

O bairro Jardim Americano é o campeão de casos confirmados em Rio Preto, com 735. Em seguida aparecem Parque Industrial (558), São Deocleciano (534), Centro (455) e Jaguaré (431). Já os bairros com menores números são: Talhado (37), Cidadania (38), Gonzaga de Campos (58) e Nova Esperança (66).

“O bairro Jardim Americano conta com área grande e antiga. Estamos fazendo uma varredura de leste a oeste para fazer a nebulização, embora não exista uma ação específica para cada bairro. Pedimos colaboração da população também para que deixem os agentes entrar nas casas. Eles estão verificando apenas nas áreas externas como garagens, quintais e corredores, sem entrar dentro da residência”, afirmou Feboli.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior