Caminhada pelo fim da violência contra as mulheres acontecerá neste domingo

Neste domingo (5), vários grupos de mulheres engajadas em políticas públicas farão uma  mobilização que pretende reunir  milhares de pessoas nas ruas de todo o país.
Vestindo laranja, a cor dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Meninas, o Grupo Mulheres do Brasil, por meio do seu Comitê de Combate à Violência contra a Mulher e Meninas, convoca toda a sociedade a se unir por uma causa que diz respeito a todo mundo: o fim da violência contra as mulheres.
E é com esse intuito que realiza a 4ª Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres, no dia 5 de dezembro, a partir das 9h, em vários pontos do país, como também ações no exterior. Ao todo, mais de 20 cidades participarão desta grande mobilização.
Segundo Luiza Helena Trajano, presidente do Grupo Mulheres do Brasil, será uma grande mobilização que colocará nas ruas a voz de todas as pessoas, pedindo um basta aos índices vergonhosos da violência contra as mulheres.
“Não podemos mais aceitar que uma mulher seja morta a cada duas horas e que haja um estupro a cada 11 minutos. Temos que mudar essa realidade urgente, é a união de todos e todas por uma causa global”, diz a executiva.
A iniciativa integra os “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” – uma campanha internacional de combate à violência contra as mulheres e meninas, que consiste numa mobilização global da sociedade civil em torno desse propósito. No Brasil, a mobilização dura 21 dias, pois começa em 20 de novembro – no Dia Nacional da Consciência Negra e pelo fato de mulheres negras serem as maiores vítimas da violência –, e se encerra em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Nos demais países ocorre entre 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres (o “Dia Laranja”, proclamado pela ONU), e 10 de dezembro.
Elizabete Scheibmayr, uma das líderes do Comitê de Combate à Violência contra a Mulher, também acredita que é um momento de unir forças e avançar na questão. “Já tivemos grandes avanços com a Lei Maria da Penha e as delegacias da mulher, mas ainda temos muito a fazer para garantir uma assistência adequada às vítimas de violência, lutando por legislações favoráveis a elas, detectando os casos e recuperando os agressores, por exemplo. Essa campanha de conscientização é uma grande ação, pois chama a atenção de
toda a sociedade para um problema que diz respeito a todos nós”, diz Elizabete.
De acordo com Alexandra Soraia Segantini, CEO do Grupo Mulheres do Brasil, a caminhada deverá reunir milhares de pessoas. “Essa grande mobilização ganhou agora caráter internacional com os nossos Núcleos no exterior. A violência contra a mulher acontece em todo o mundo, não é um problema exclusivo do Brasil. Com camisetas laranjas, vamos ocupar as ruas em sintonia com as mulheres de todo o planeta que ainda vivem em situação de violência”, estima Alexandra.
Em Rio Preto, a concentração será às 9h, no Mercadão Municipal, que fica na Rua Antônio de Godoy, nº 3048. O incio da caminhada está marcado para às 10h com um trajeto com saída de frente ao Mercadão Municipal passando pelas ruas Silva Jardim sentido região norte, Rua XV de Novembro, Rua Jorge Tibiriçá, Avenida Alberto Andaló em frente a Prefeitura Municipal, Rua Silva Jardim passando pela Câmara Municipal e retornando ao Mercadão Municipal.
Da REDAÇÃO