Brasil é o 2º país que mais consome filmes e séries online

Alex, a esposa Cássia e a filhinha Giovana. Foto_Arquivo PESSOAL

Com o lockdown ocorrendo em grande parte do país, uma das poucas opções de lazer no confinamento das casas era assistir filmes e séries via streaming. Isso fez com que a receita da Netflix tivesse um forte crescimento de mais de 47% no último ano, totalizando mais de US$ 2,7 bilhões.

É o que revela um estudo realizado pela plataforma de desconto “Cupom Valido” que compilou dados da Statista e JustWatch sobre os serviços de streaming.

Dhoje Interior

Os brasileiros estão em 2ª lugar entre os que mais utilizam serviços de streaming no mundo, somente atrás dos Estados Unidos. Em seguida ficam Reino Unido e Alemanha, em terceiro e quarto lugar, respectivamente.

Para confirmar este cenário, o DHoje conversou com o Alex Santos, casado com a Cássia Valsechi há três anos. O casal tem o hábito de assistir séries juntos e já se atrasou para compromissos devido ao “vício”.

“Nós temos um combinado de assistirmos algumas séries juntos. As vezes eu começo e chamo minha esposa, outras vezes ela vê a sinopse e me chama pra assistir junto e existem as nossas preferidas, do nosso gosto, como Star Wars ou séries baseadas em livros”, conta Alex.

O DHoje questionou se já aconteceu de alguns dos dois não gostarem da série e abandonar pelo meio. “Já sim. Eu mesmo comecei Greys Anatomy com ela e parei porque tinha muito sofrimento”. Mas Alex ressalta que “existem séries que a minha esposa não deixa eu assistir sem ela ou se ela dorme e eu continuo assistindo, tenho que assistir de novo com ela”.

Em relação aos compromissos, a reportagem perguntou se já rolou um atraso ou até falta de algum churras em família, por exemplo. “Não faltamos dos churrascos, mas a gente já chegou atrasado porque queríamos assistir mais um episódio. E também já optamos por ir ao cinema ver um filme que estreou, ao invés de ir no churrasco”, relembra.

Alex e Cássia estão juntos (entre namoro e casamento) há 17 anos e Alex conta que na época do namoro eles assistiam muitos filmes e séries com box de DVD, até porque, naquela época os streamings ainda não existiam. “Já passamos carnaval assistindo o DVD do Band of Brothers, série de guerra da HBO”.

O casal vê como positiva essa “invasão” de streamings na vida do brasileiro, por dar a oportunidade de acessar vários tipos de conteúdo. “Essa variedade, com um clique você já está assistindo algo. Eu tenho HBO, Disney, Netflix e Amazon Prime, e fica sempre aquela dúvida: o que eu vou assistir agora?”, frisa Alex.

A parte ruim, segundo Alex, é justamente o fato dos streamings estarem ficando segmentado e, com isso, quem gosta acaba tendo que assinar todos para ter acesso a tudo. “Às vezes você quer ver um filme e não tem em nenhum servidor de streaming, aí tem que assinar. Por exemplo, quero ver Star Wars que só tem na Disney, aí quero ver Harry Potter que só tem na HBO”, conclui Alex.

As plataformas de streaming mais usadas no mundo

A Netflix é a plataforma de streaming mais usada no mundo, com 53,5% do total de usuários. No último ano, mais de 36 milhões de pessoas se tornaram assinantes da plataforma, que atingiu mais de 200 milhões de assinantes no total.

Em segunda posição fica o Amazon Prime Video, com 12,6%. Em seguida ficam as plataformas Hulu (6,3%), Apple TV+ (3,9%), HBO Max (3,6%) e Disney+ (3,6%).

O mais impressionante é que, ao levar em consideração todos os 195 países do globo, o Brasil fica em 3º lugar como um dos países em que os serviços de streaming é o mais barato. Somente a Argentina e a Turquia possuem mensalidades mais baratas que no Brasil. Só para efeito de comparação, o custo da Netflix na Suíça, é mais que o triplo que os brasileiros pagam mensalmente.

As preferidas dos brasileiros

Segundo o estudo, a Netflix é a plataforma mais utilizada no Brasil, com 31% de participação de mercado. Em segundo lugar fica o Amazon Prime Videos (24%), e em terceiro lugar, a recente lançada Disney+ com 12% de participação de mercado.

Os 3 principais tipos de séries preferidos pelos brasileiros são: drama (47,8%), ação (18,3%) e comédia (16%).

Com relação ao preço, praticamente todas as plataformas trabalham com várias categorias, desde a mais básica até a mais completa. As diferenças vão desde a qualidade do vídeo, até a quantidade de dispositivos com acesso simultâneo.

Comparando somente os planos mais básicos os preços variam de R$9,90 a R$37,90.  Quem desejar assinar todos os 11 principais serviços de streaming presentes no Brasil, vai ter que desembolsar o valor de R$ 221 por mês (nos planos mais básicos) e R$ 337,30 por mês (nos melhores planos).

Por Andressa ZAFALON