Bebê passa mal em creche e mãe procura a polícia

Foto: Cláudio LAHOS

Uma vendedora, de 30 anos, moradora em um condomínio fechado, procurou a Central de Flagrantes de Rio Preto, na noite desta segunda-feira, para registrar boletim de ocorrência depois que sua filha, de nove meses, passou mal em uma escola municipal do bairro Gonzaga de Campos.

Conforme relato da mãe à polícia, há uma semana o bebê foi diagnosticado com intolerância à lactose e comunicou à direção da escola que ela não poderia consumir nada que contivesse o ingrediente.

Dhoje Interior

Ontem, uma professora do período da tarde teria telefonado para a vendedora dizendo que a criança estava com diarreia e deveria comparecer com urgência na unidade escolar.

Após levar a menina para o pronto atendimento de um convênio médico, onde foi medicada, a mãe retornou para sua residência, onde descobriu que a lata de leite em pó sem lactose estava com a tampa trocada e com o nome de outro aluno.

No Plantão, a vendedora afirmou ainda que em outro dia viu no caderno de anotações da filha que um dos professores anexou uma receita médica que prescrevia alimentação para outra criança. Segundo ela, a ingestão dessa comida poderia trazer complicações à saúde de sua filha.

OUTRO LADO

Em nota enviada ao DHOJE, a Secretaria de Educação informa que a escola já analisou e apurou que não houve troca do leite oferecido às crianças.

“A direção da escola já entrou em contato com a família para esclarecimentos. As unidades da rede municipal seguem protocolos rígidos de segurança na alimentação, para dar plena atenção aos casos especiais”, finaliza o comunicado.

Daniele JAMMAL