Base governista na Câmara rejeita convocação de secretária da Educação

Integrantes da base aliada do prefeito Edinho Araujo (MDB) impediram a convocação da secretária de Educação, Fabiana Zanqueta, para prestar esclarecimentos sobre a vacinação dos professores municipais da Educação Especial da primeira etapa de imunização dos profissionais da educação divulgada pelo Estado de São Paulo.

Presidente da Comissão Permanente de Educação, o vereador Bruno Moura (PSDB) se limitou a informar que a administração municipal está em contato com o governo do estado para esclarecer sobre a vacinação dos profissionais, e que Fabiana havia explicado a situação em “live” (transmissão ao vivo na internet) que teria participado com o vereador Odélio Chaves (PP).

Dhoje Interior

“Eu vou encaminhar contra a convocação da secretária até porque ontem eu acho que se alguém acompanhou ela deu explicação exata em uma live que ela fez com o vereador Odélio, mas a gente pode convidar ela para dar explicações pela Comissão”, afirmou o parlamentar.

O vereador Odélio Chaves relatou que a secretaria de Educação estaria seguindo Informe Técnico do estado. “Eu também vou encaminhar contra, porque diferentemente do que foi dito pelo vereador Rillo, ela não excluiu os professores da Educação Especializada, o que houve foi simplesmente uma divergência do Informe Técnico com a secretaria municipal de Educação, onde o estado não reconheceu o enquadramento desses professores”, relatou.

Questionado pelo DHoje sobre a disponibilidade do vídeo produzido em Live com a secretária Fabiana Zanqueta, Odélio afirmou que não salvou a live que fez em 12 de abril, então não teria disponibilidade para apresentar para a reportagem.

Rillo criticou a iniciativa dos parlamentares de tomarem decisões baseadas em transmissões na internet ou telefonemas. “Se ela fez uma live particular com um vereador o problema é dela, esse não é um fórum institucional, temos que começar a perceber onde a gente está, uma live que eu faço nas minhas redes não é oficial, existe uma Câmara, existe regras, esse aqui é um poder constituído”, afirmou.

O parlamentar ressaltou  ainda que o Governo do Estado afirmou – citando reportagem do DHoje – que a decisão de não vacinar professores da Educação Especial seria exclusivamente da prefeitura. “O que eu sei é que a decisão dela por alguma razão e muito estranha, a única cidade do estado que exclui a educação especial, ou seja, excluindo profissionais, professores e estudantes”, afirmou.

Foram nove votos contrários a convocação dos vereadores Jorge Menezes (PSD), Julio Donizete (PSD), Karina Caroline (Republicanos), Odélio Chaves, Paulo Pauléra (PP), Rossini Diniz (PL), Bruno Moura, Celso Peixão (MDB) e Claudia de Giuli (MDB). O votos favoráveis foram dos vereadores Jean Charles (MDB), Robson Ricci (Republicanos), Renato Pupo (PSDB) e Rillo, os demais no momento da votação não responderam.

Por Thiago PASSOS