Aulas presenciais em escolas estaduais têm baixa adesão

Saída dos alunos da Escola Estadual Professor Leonor da Silva Carramona. Foto Andressa Zafalon

De acordo com o decreto estadual, as Escolas Estaduais podem voltar a partir desta quarta-feira (14) com as aulas presenciais respeitando os 35% dos matriculados e dando preferência para os alunos em que há defasagem no aprendizado, os que necessitam da alimentação dada pela escola, que estejam em fase de alfabetização ou, ainda, aqueles que são filhos de profissionais da saúde. Estes são os que têm preferência para as aulas presenciais.

O DHoje entrou em contato com oito Escolas Estaduais e todas elas registraram número baixo de alunos neste primeiro dia. A Escola Estadual Leonor da Silva Carramona (foto), recebeu, no período da manhã, apenas 20 alunos; na Escola Professor Jamil Kahuan foram sete alunos; no Cardeal Leme em torno de 40 alunos; no Justino Jerry Faria nenhum aluno; na Escola Alberto Andaló cerca de dez alunos; na Escola Deputado Bady Bassit nenhum aluno e na Escola Dinorah do Vale também nenhum aluno.

Dhoje Interior

Na Escola Estadual Deputado Bady Bassit, que abriu, mas não recebeu nenhum aluno, a funcionária informou que os alunos que tiverem condições devem dar preferência para continuar com as aulas remotas. “Vamos oferecer uma marmita por aluno, de forma agendada, ou o aluno poderá vir se alimentar na escola”, explica.

A mesma situação acontece na Escola Estadual Dinorah do Vale, que também abriu, mas nenhum aluno foi para a aula presencial. “Abrimos a escola, mas não apareceu ninguém. A prioridade é para alunos que estejam em fase de alfabetização, filhos de funcionários da saúde, e os que precisam de alimentação. Muitos alunos e pais de alunos estão com medo, até porque, aqui na escola tivemos dois casos de Covid em alunos do oitavo ano (14 anos de idade)”, conta funcionária. Ambas preferiram não se identificar.

As aulas presenciais são opcionais. Os alunos que preferirem, podem continuar acompanhando as aulas pela internet que não serão prejudicados.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Diretoria de Ensino para questionar se esta baixa adesão já era esperada e se há previsão de aumentar o leque de alunos atendidos para as aulas presenciais, mas, até o momento não obtivemos resposta.

Por Andressa ZAFALON