Dicas do que fazer para melhorar o clima na casa e contribuir com o bem-estar emocional

A pandemia trouxe não só o vírus, mas também a necessidade do isolamento social, desemprego e uma grave crise financeira. De acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de São Paulo (USP) em onze países, as restrições que tanto ajudam a conter o avanço da Covid-19, podem prejudicar a saúde mental.

Segundo o estudo, o Brasil é o país que mais tem casos de ansiedade (63%) e depressão (59%). Em segundo lugar está a Irlanda com 61% das pessoas com ansiedade e 57% com depressão, e os Estados Unidos, com 60% e 55%, respectivamente.

Dhoje Interior

Com o fim ainda distante, muitas pessoas passaram a desenvolver sintomas de esgotamento mental, visto que os momentos de lazer e trabalho passaram a ser todos no mesmo ambiente, dentro de casa. Ainda assim é possível reverter o cenário, transformar o ambiente e experimentar novas sensações com algumas pequenas mudanças, como trocar os móveis de lugar, investir na iluminação adequada, adquirir plantas e escolher a cor ideal para os cômodos.

A ArqExpress-startup que inova ao entregar projetos de arquitetura e decoração com orçamento total pré-definido pelo cliente e em tempo recorde- viu a procura pelos serviços crescer significativamente no período de isolamento e passou a atender cerca de 50 clientes por mês. 

De acordo com Renata Pocztaruk, arquiteta e CEO da empresa, as pessoas buscaram por transformações que poderiam ser feitas com a família dentro de casa, com custo acessível e sem quebradeira. “Com a quarentena as pessoas começaram a prestar mais atenção em suas casas e, o desejo que talvez antes não fosse uma prioridade, acabou batendo na porta de todas as famílias. Ficou evidente que um ambiente melhora a qualidade de vida e contribui com a saúde mental das pessoas”, afirma.

Pensando nisso, Renata desenvolveu algumas dicas que podem ser colocadas em prática para melhorar a saúde mental e, consequentemente, o clima da casa. “Nosso cérebro é bombardeado por inúmeras substâncias quando entramos em um novo ambiente e isso pode influenciar no funcionamento do organismo. Apenas a forma de dispor os objetos já proporciona uma grande mudança no bem-estar, contribui com o estímulo da criatividade, melhora a memória e gera novas experiências”, ressalta.