Alunos do curso de psicologia da Famerp divulgam ‘carta manifesto’ reivindicando a contratação de docentes

Os alunos do curso de psicologia da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP) divulgara uma ‘carta manifesto’ pública para demonstrar a preocupação com a demora em contratar professores-supervisores para compor o corpo docente.

“Acompanhamos perplexos os agravamentos da pandemia e nos solidarizamos com as famílias dos mais de 365 mil mortos pela Covid-19 no Brasil até a data deste manifesto. Danos igualmente graves são os efeitos emocionais e afetivos desse contexto conturbado, nos quais as ciências psicológicas comprovadamente evidenciam quão desastrosas são as consequências, como altos índices de depressão e ansiedade, além de risco aumentado de suicídio. Neste contexto, a FAMERP como faculdade pública de saúde, mantida pelos impostos pagos pela população, poderia estar provendo serviços psicológicos que atendam a comunidade. No entanto, isso não será possível devido ao reduzido número de docentes que supervisionem os estágios”, diz trecho da carta.

Dhoje Interior

Atualmente a graduação em Psicologia tem cinco turmas de exatamente 92 alunos e apenas sete docentes contratados. “Evidentemente que não temos supervisores suficientes para atender toda a demanda da formação. Os alunos atuam em diversos setores da cidade de São José do Rio Preto, nos três níveis de saúde (Unidades Básica de Saúde, Centro de Atenção Psicossocial, Ambulatório de Especialidade, Hospital da Criança de Maternidade e Hospital de Base), além de outros campos, como a educação, assistência social e organizacional”.

O reduzido corpo docente também dá aulas teóricas aos alunos, assim como orientam pesquisas de iniciação científica, projetos de extensão e coordenação de pós-graduação. Em complemento, este ano inaugura a clínica-escola na qual os alunos do último ano da graduação atenderiam as demandas dos usuários do SUS.

“Para que isso aconteça, juntamos nossas vozes às das autoridades, docentes, entidades, conselhos de classe, profissionais, alunos e cada cidadã e cidadão para assumir uma posição de compromisso com a preservação da universidade pública e com a manutenção dos serviços psicológicos prestados nos diversos setores de São José do Rio Preto”, finaliza a carta oficialmente divulgada.

Os alunos estão programando uma manifestação para a próxima segunda-feira (19), às 8h, em frente à Faculdade de Medicina.

O DHoje entrou em contato com a assessoria da Famerp, para verificar a ciência da situação, que respondeu por nota. “A diretoria da Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp recebeu, hoje, o deputado estadual Itamar Borges, em reunião na diretoria da instituição. O diretor geral, Francisco de Assis Cury, recolocou o pedido para a contratação de 14 novos docentes para a instituição, por tempo determinado, incluindo docentes para o curso de psicologia”, explica.

Ainda de acordo com a nota, a Famerp já tem autorizada pelo Governo do Estado de São Paulo a abertura de 24 vagas de concurso público para a contratação de docentes. Porém, por decreto estadual, está proibida a realização de concurso.

“Até que haja autorização para realização de concurso público, a Famerp vem solicitando desde o ano passado a abertura de 14 vagas para contratação de docentes temporários, com vigência determinada por dois anos. A solicitação foi reforçada presencialmente pela diretoria da Famerp para a secretária Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patrícia Ellen, durante visita à instituição em fevereiro deste ano”, conclui.

Por Andressa ZAFALON