“Ainda sofro com cansaço, falta de ar e perda de peso”, diz curada do Covid-19

O Instituto Lucy Montoro de Rio Preto iniciou nesta terça-feira (1) o tratamento de reabilitação de pacientes com sequelas do Covid-19. A iniciativa faz parte de um estudo ligado a diversas universidades do país como UFRS, UFRJ e USP.

Uma das pacientes que iniciou o tratamento foi a técnica de enfermagem do Hospital da Criança e Maternidade (HCM) Bruna Valéria Gomes da Silva, 36 anos. Ela foi diagnosticada com a doença em 10 de junho e recebeu alta em 13 de julho, mas relata que ainda sofre com as sequelas. “Eu ainda sofro com cansaço, falta de ar e perda de peso. Comecei a ter acompanhamento com um fisioterapeuta. Como estamos nas primeiras sessões ainda não senti muita diferença, mas acredito que esse tratamento me ajude a melhorar”, afirmou.

Dhoje Interior

Ela também falou sobre a sensação ao descobrir que tinha a doença. “Me assustei muito, ainda mais por ter um filho pequeno. Eu não tinha nenhum tipo de comorbidade e mesmo assim sofri muito. É uma doença muito cruel e as pessoas não podem continuar levando na brincadeira”, comentou.

A diretora do Lucy Montoro, Regina Chueire, também falou sobre as principais sequelas identificadas. “Estamos observando muitos distúrbios relacionados à memória, perda do olfato, diminuição da massa muscular e osteoporose. Nossa expectativa é de atender até cerca de 100 pacientes por mês”, afirmou.

De acordo com a diretora, o instituto conta com 48 profissionais da área da saúde como médicos, fisiatras, fisioterapeutas, assistentes sociais, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, educadores físicos e nutricionistas. O Lucy Montoro atende pacientes da região de São José do Rio Preto e de Araçatuba.

“Quem estiver interessado em participar do tratamento deve procura o posto de saúde de seu bairro ou cidade 30 dias depois dos sintomas e pedir o encaminhamento para a o Lucy Montoro”, explicou Regina.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior