Agosto Dourado: mês conscientiza sobre importância da amamentação

Para incentivar e disseminar a importância da amamentação criou-se o “Agosto Dourado” – campanha que leva informação à sociedade sobre a amamentação bem como seus derivados. A cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno.

Em Rio Preto, alunos da Famerp de Enfermagem promovem atividades educativas durante a Semana de Aleitamento Materno. As ações fazem parte das atividades de Estágio Supervisionado e são feitas nas Unidades de Saúde em conjunto com o Banco de Leite Humano e a Secretaria de Saúde da cidade.

“O apoio ao aleitamento materno envolve muitos protagonistas em vários níveis. As mulheres precisam de apoio dos serviços de saúde, do local de trabalho e da comunidade para amamentar de forma satisfatória. O aleitamento materno é fundamental para a implementação efetiva de estratégias de desenvolvimento sustentável, especialmente em um mundo pós-pandemia, pois melhora a nutrição e garante a segurança alimentar”, diz a chefe da Disciplina da Saúde da Mulher, Ana Maria Neves Finochio Sabino.

As disciplinas da Saúde da Mulher e da Saúde da Criança e Adolescente da Famerp realizam essa atividade anualmente orientada pela Aliança Mundial de Aleitamento Materno. Neste ano, o tema da campanha é “Fortalecer a amamentação: educando e apoiando”.

“A Semana de Aleitamento destina-se a governos, sistemas de saúde, locais de trabalho e comunidades. Juntos, precisamos informar, capacitar e fortalecer nossa capacidade de criar e sustentar ambientes favoráveis à amamentação para as famílias”, fala Ana Maria Sabino.

Nathálya Marcondes Basílio, mãe da Bella Marcondes Basílio, é uma incentivadora ferrenha da lactação. A mãe comenta que o suporte técnico que recebeu no seu parto humanizado foi fundamental para desenvolver confiança. Mas ressalta que logo nos primeiros meses começaram os primeiros tabus provenientes do primeiro maternar.

“Tive muitas dúvidas sobre o processo. Me questionei sobre o aleitamento estar de fato sustentando-a. Graças ao respaldo do pediatra da minha filha, pude constatar que estava tudo correto e que não existe regras de tempo. Sou totalmente a favor da amamentação. Temos muitas pessoas que estão de braços abertos para sanar nossas dúvidas e nos ajudar nesse elo tão lindo que é a amamentação”, ressalta.

A história da Semana Mundial de Aleitamento Materno teve início em 1990, onde o encontro da Organização Mundial de Saúde com a UNICEF foi originado um documento conhecido como “Declaração de Innocenti”. Para honrar os compromissos assumidos pelos países após a assinatura deste documento, em 1991 foi constituída a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação (WABA, sigla em inglês). Em 1992, a WABA criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno e, todos os anos, define um tema a ser explorado e lança materiais que são traduzidos em 14 idiomas com a participação de cerca de 120 países.

Incentivadora da amamentação, a maquiadora diz que passou por alguns impasses nos primeiros meses da lactação, mas com respaldo do pediatra de sua filha pôde se libertar de afirmações equivocadas

Daniela MANZANI – Redação jornal DHoje Interior