Acusados de matar advogado são julgados pelo Tribunal do Júri

O Tribunal do Júri começou a julgar nesta quinta-feira (15) os dois homens acusados de matar o advogado José Arthur Vanzella Seba, de Votuporanga, morto em 19 de julho de 2017 em Rio Preto. Os acusados são o empresário e sócio da vítima, Cláudio Yuri Baptista, e o assassino de aluguel, Keyssel Eduardo de Oliveira.

O julgamento é presidido pela juíza titular da 5ª Vara Criminal da comarca, Gláucia Véspoli dos Santos Ramos Oliveira. Na acusação, está o promotor de Justiça José Marcio Rossetto Leite. Na defesa dos acusados, está o advogado Helio Antonio da Silva, nomeado para defender Keyssel e os advogados constituídos pelo empresário: Mariana Pascon Scrivante Galli, João Ricardo Batista e Keily da Silva Ferreira.

Dhoje Interior

Devido à pandemia do novo coronavírus, o Júri não tem público, somente participam os jurados, advogados, familiares da vítima, juíza e promotor.

Cláudio é acusado de ser o mandante do crime e Keyssel de ser o autor do disparo que matou o advogado. Ambos foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por homicídio qualificado.

Os dois foram presos um mês após o crime, no dia 19 de agosto 2017. Na época, Cláudio contou à Polícia Civil que tinha ido com José Arthur ver um terreno, quando um desconhecido teria discutido com o advogado, sacado uma arma e atirado. A investigação demonstrou que o assassinato foi premeditado. O empresário contratou um matador de aluguel conhecido como “Boiadeiro” que efetuou cinco disparos contra a vítima.

A Polícia Civil descobriu que Claudio fez três apólices de seguro de vida em nome da vítima e ele era o beneficiário na morte de José Arthur. Para o Ministério Público, Cláudio contratou o assassino de aluguel Keyssel e pagou R$ 50 mil para que ele matasse o, então, sócio e também amigo.

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior
E-mail: [email protected]