‘ABRIL AZUL’: Canabidiol pode contribuir em tratamento de autistas

De acordo com a psiquiatra Lívia Penteado, quarentena afetou a rotina dos autistas. Divulgação
Psiquiatra Lívia Penteado

Batizado de ‘Abril Azul’, o quarto mês do ano foca na conscientização do autismo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem 70 milhões de pessoas no mundo que são portadoras da doença. No Brasil, uma estimativa do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos aponta cerca de dois milhões de pessoas com o transtorno.

Segundo a psiquiatra Lívia Penteado, o canabidiol (CBD) e a Vitamina D podem ser importantes aliados no tratamento de pessoas com TEA (Transtorno do Espectro Autista).

Dhoje Interior

“A Vitamina D é importante não só para os autistas, mas sim para todo mundo, pois está relacionada ao fortalecimento da nossa autoimunidade. Já o canabidiol pode melhorar os principais sintomas dos problemas como hiperatividade, déficit de atenção e irritabilidade”, explicou.

Ainda conforme Lívia, os efeitos do tratamento podem ser notados em detalhes. “A principal característica do autista é a dificuldade de firmar relações sociais. A partir do momento que o tratamento começa a dar resultado podemos observar o autista a compreender ordens, olhar para câmera na hora de tirar fotos, entre outros”, comentou.
Outra característica de pessoas com TEA são os comportamentos repetitivos. Devido a quarentena, algumas dessas ações o autista não consegue realizar, o que pode causar irritabilidade. “É importante que os responsáveis peçam orientações para instituição responsável por eles e tentem trazer a rotina de lá para dentro de casa”, finalizou Lívia.

Por – Vinícius LIMA