Desemprego faz abertura de MEIs crescer 10,5% no ano

Foto: Claudio LAHOS

O número de aberturas de MEI’s (Micro Empreendedor Individual) apresentou um crescimento de 10,5% este ano comparado a 2019. Desde janeiro foram 3.839 requerimentos de abertura realizados, 367 a mais que no mesmo período do ano passado. Segundo o último balanço divulgado pelo Simples Nacional, o município contabiliza 35.553 microempreendedores.

“O que está acontecendo em Rio Preto é o mesmo que em todo o Brasil. Boa parte dos que estão fazendo o cadastro como MEI são pessoas que perderam o emprego durante a pandemia, que é o que geralmente chamamos de empreendedorismo por necessidade”, explicou o consultor de negócios do Sebrae Júlio César Lara Ribeiro.

Dhoje Interior

Com a criação da MEI, a pessoa consegue um CNPJ e consequentemente abrir uma conta jurídica no banco. Com isso, o empreendedor pode ter acesso a linhas de créditos para movimentar o negócio. Segundo Ribeiro, há duas linhas de créditos mais vantajosas, que juntas já emprestaram R$ 605.882 para MEIs rio-pretenses.

“O Sebrae possui parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e com o Banco do Povo, oferecendo subsídios a juros zeros ou de 0,35%, dependendo da escolha. Esse dinheiro precisa ser utilizado como capital de giro, ou seja, o empreendedor dar algum tipo de utilização para aquele dinheiro, não pode ficar parado. Dependendo da linha de crédito também, há a possibilidade de ter carência de até três meses, com o prazo de pagamento de até 36 meses”, comentou Ribeiro.

Nova linha de crédito

O presidente Jair Bolsonaro sancionou uma lei que cria uma linha de crédito especial destinada aos profissionais liberais que atuem como pessoa física, como advogados, corretores e arquitetos. A medida foi publicada nesta sexta-feira (21) no Diário Oficial da União e tem o objetivo de reduzir os impactos financeiros do setor durante a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o texto, a linha de crédito, criada no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), terá taxa de juros de 5% ao ano mais a taxa Selic e prazo de 36 meses para pagar, dentro dos quais até oito meses poderão ser de carência com juros capitalizados. O valor da operação é limitado a 50% do rendimento anual informado na Declaração de Ajuste Anual de 2019 do trabalhador, no limite máximo de R$ 100 mil.

A linha de crédito é destinada a profissionais liberais com nível técnico ou superior, exceto aqueles que tenham participação societária em pessoa jurídica ou que possuam vínculo empregatício de qualquer natureza.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior