Abandono de animais cresce 20% e Dibea lança campanha de adoção

A Diretoria do Bem Estar Animal (Dibea) lançou nesta semana uma campanha para adoção de cães e gatos. A iniciativa leva em conta o aumento de 20% no número de animais abandonados durante a pandemia e a redução de 60% no número de adoções, segundo estimativas da Dibea. 

No momento, 40 cães e 8 gatos estão à espera de um lar. Os animais chegaram à Diretoria após serem resgatados de situações de maus-tratos. Todos estão aptos para adoção, ou seja: estão vacinados, castrados, microchipados e em bom estado de saúde. Há animais de pequeno, médio e grande porte, machos e fêmeas.

Dhoje Interior

O diretor da Dibea contou que por conta da pandemia as feiras de adoção não estão permitidas, o que dificulta o acesso dos possíveis adotantes aos animais. “Muitas vezes, os interessados têm alguma preferência por idade, cor ou aparência. As pessoas deveriam pensar que ao adotar estarão dando amor a animais que já sofreram bastante nas ruas ou em lares onde não eram bem tratados. E isso sim é um ato de amor”, afirma Kelsen Arioli. 

Para adotar um animal, o interessado deve comparecer à sede da Diretoria portando documento pessoal. A equipe conversará com o munícipe para entender o perfil de adoção desejado. Caso haja interesse por algum animal, o munícipe preenche uma ficha com seus dados e recebe informações sobre posse responsável.

 Após dois dias, a equipe da Dibea realiza uma visita técnica no endereço do adotante para verificar as condições para abrigar o animal. Caso o adotante seja avaliado como apto, a adoção é efetivada.

DICAS PARA A ADOAÇÃO

1- As características do animal, ou seja, se é o porte é adequado para o espaço físico em que vai viver.

2- As características comportamentais, ou seja, se o adotante está em busca de um animal ativo ou calmo, por exemplo. Essa informação é importante para adequar o comportamento do animal às rotinas dos adotantes.

3- Custos de vacinação e tratamentos de saúde em caso de enfermidades.

4- Custo mensal com alimentação de boa qualidade, além de banhos, produtos de higiene e medicamentos.

5- Tempo disponível para interagir com o animal e dar atenção.

6- Aceitação de todos os membros da família com a chegada de um animal na casa.

7- Tempo de vida do animal: tanto cães quanto gatos podem viver mais de 15 anos.

Colaborou Maria Paula Andrade – Da Redação Jornal Hoje Interior