Volta às aulas: escolas estaduais opcional, municipais e privadas dependem da prefeitura

Volta as aulas nas estaduais será opcional_Sérgio SAMPAIO_DHojeinterior

As mais de 5 mil escolas estaduais paulistas poderão optar se retornam ou não as aulas presenciais a partir do dia 7 de outubro, segundo afirmação feita nesta sexta-feira (18) pelo secretário estadual de Educação, Rosielli Soares, durante a coletiva feito pelo governo do Estado.

As demais escolas municipais e privadas poderão retornar as atividades presenciais a partir desta data caso haja a anuência da administração municipal e os órgãos de saúde local.

Dhoje Interior

Segundo o secretário a liberação das atividades presenciais desde o ensino infantil até o ensino superior está autorizado a acontecer a partir do dia 7 de outubro, desde que respeite a autoridade municipal que tem que falar sobre as condições locais. “Portanto se um município desejar voltar no dia 7 de outubro, com atividades de aulas para os seus estudantes é possível. Se o município autorizar no âmbito do seu território a volta as aulas, a privada poderá fazer a atividade de volta as aulas”, salientou o secretário.

Segundo o governador João Doria (PSDB) a autorização do retorna as aulas vale para os 645 municípios. “Vamos respeitar a autonomia dos prefeitos”, salientou Doria.

A liberação deve acontecer de forma individualizada município por município tendo em vista a realidade de cada um no que diz respeito ao controle da pandemia da Covid-19 naquele momento.

28 dias – o único requisito obrigatório é que a região ou cidade esteja à no mínimo 28 dias na Fase Amarela do Plano São Paulo.

Prioridade estaduais – Nesta primeira etapa está liberada a volta das atividades do ensino médio, dando prioridade ao 3º ano e a educação para jovens e adultos.

Analise – no caso das escolas estaduais as mesmas só poderão retornar com as aulas presenciais, após apresentar da Diretoria de Ensino e a Secretaria de Educação um plano de retorno que comprove estar equipada e em condições de atender seguramente estudantes e servidores da Educação. “A Secretaria não autoriza se a escola (estadual) não tiver estrutura”, salientou Soares.

Equipamentos – a Secretaria da Educação pretende distribuir 12 milhões de máscaras de tecido, 300 protetores faciais de acrílico, 10.168 termômetros a laser, 10 mil totens de álcool em gel, 221 mil litros de sabonete líquido, 78 milhões de copos descartáveis, 112 mil litros de álcool em gel e 100 milhões de unidades de papel toalha. O objetivo é garantir a segurança  comunidade escolar na rede estadual.

Por Sérgio SAMPAIO – Da Redação Jornal DHoje Interior