Vítimas perdem dinheiro em golpes pela internet

Crimes pela internet tornam-se casa vez mais frequentes. Os envolvidos no golpe exigem pagamento adiantado.

Duas mulheres de 26 e 33 anos registraram boletim de ocorrência na segunda-feira (5), após terem sido vítimas de golpes, em Rio Preto.

No primeiro caso, a vítima viu um anúncio na OLX que oferecia uma van Renault Master pelo valor de R$108 mil. Em contato com o anunciante, ela descobriu que ele havia ganhado uma ação de uma empresa e recebido o veículo, posto à venda. Na quinta-feira (1º), ela recebeu a ligação de um suposto diretor jurídico da tal empresa, pedindo que ela procurasse o gerente de uma concessionária localizada na avenida Bady Bassitt. No local, ela foi recepcionada pelo homem que seria o responsável pela negociação da van com a referida empresa. No mesmo dia, a mulher recebeu uma mensagem de texto, em que o gerente confirmava o depósito, mostrando um comprovante eletrônico por parte da empresa. Com o negócio fechado, a vítima realizou quatro depósitos e teria de esperar de cinco a dez dias para a chegada do automóvel.

Com a certeza de que estaria com a van, a mulher foi até uma seguradora para garantir o seguro do veículo e ao ser pedido o número da chassi da van, a vítima telefonou para o gerente da concessionária, que alegou que não havia nota de compra e que a empresa ainda não havia feito o depósito, negando ter mandado mensagem e conversado com a vítima. Já o segundo caso começou no dia 22 de fevereiro, quando a vítima comprou um aparelho celular no site de uma loja de produtos eletrônicos e eletrodomésticos pelo valor de R$699,90. No dia seguinte, a jovem imprimiu o boleto gerado e pagou a quantia adequada em uma lotérica. O aparelho seria entregue seis dias após o pagamento, de acordo com o site. Como o aparelho não chegou na referida data, a mulher acessou o site da loja e por meio de um código que lhe havia sido fornecido tentou acompanhar a entrega do produto, momento em que descobriu que seu código não existia . Então, ela foi até uma loja física da marca e foi informada pelo funcionário de que se tratava de um golpe e que mais pessoas também haviam procurado a empresa pelo mesmo motivo.

 

Cuidado com o golpe!

De acordo com o diretor do Procon, Arnaldo Vieira, todo e qualquer cuidado é pouco na hora de comprar pela Internet, principalmente em sites de classificados, como OLX, Mercado Livre, etc.

No caso específico de relações em que não há CNPJ vendendo para uma pessoa comum, o cuidado é redobrado.

Embora estes endereços possuam diferentes pessoas vendendo e comprando, o diretor ressalta que há certa responsabilidade do site pelo que é anunciado. “Há casos de consumidores que reclamaram contra este site e acabaram ganhando o processo”, disse Vieira, que contou sobre pessoas que receberam encomendas com pedras no lugar de produtos, por exemplo.

No entanto, para ele, algumas dicas podem ser facilmente colocadas em prática pelos consumidores para evitar armadilhas e saber se um produto é ou não real. “Dicas como verificar a procedência do tipo de anúncio e procurar telefone, localização, referências, marcar troca em locais públicos, observar a reputação de quem vende (os pontos positivos e negativos registrados) e também buscar as imagens da oferta no Google para ver se já não há este produto disponível em sites com outros direitos autorais, indicando fraude”, explicou Arnaldo.

Em caso de problemas, o consumidor deve procurar o Procon para acionar sites de compra e venda que também são responsáveis por aquilo que estão anunciando. “Eles têm que ter ferramentas mais modernas para saber quem está anunciando, se é real e se o produto existe de verdade”, finalizou o diretor.

 

Da REPORTAGEM

(Colaborou Arthur AVILA)

 

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS