Vítimas perdem cerca de R$ 17 mil em golpes

Seis pessoas procuraram a Central de Flagrantes durante todo o dia de sábado (12), para registrarem que foram vítimas de golpes. Ao todo, as vítimas perderam cerca de R$ 17 mil.

Uma das vítimas foi uma mulher, de 56 anos, que perdeu R$ 950 dentro de uma agência bancária, na Vila Nossa Senhora Aparecida, em Rio Preto. Ela disse à polícia que um homem a orientou ligar em um telefone depois que o cartão ficou retido no terminal eletrônico.

De acordo com a vítima, ela foi atendida por outro homem e informou os dados pessoais, inclusive a senha bancária. Quando foi consultar o saldo usando o sistema de biometria, percebeu a movimentação e o golpe.

A polícia investiga se o crime tem relação com outra vítima, uma dentista de 63 anos, que também foi enganada dentro da mesma agência. Ela sacou R$ 350 e, quando saía do local, foi abordada por um homem.

O suspeito orientou a mulher a cancelar as operações realizadas, pois o banco continuaria cobrando taxas. Depois de muita insistência do homem, a vítima voltou ao terminal e o cartão ficou retido.

A dentista também foi orientada a ligar para a central de atendimento ao cliente e, durante a conversa com o suposto atendente, forneceu os dados pessoais e a senha bancária. Em seguida, ao consultar o extrato bancário, percebeu diversas movimentações, inclusive o pagamento de IPVA, Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, de dois veículos.

Outras duas pessoas foram vítimas do golpe do falso sequestro de um familiar. Uma das vítimas, uma aposentada de 65 anos, contou que recebeu uma ligação dizendo que a filha foi sequestrada.

Os estelionatários exigiram quatro depósitos de R$ 500 cada. No entanto, após realizar dois depósitos, a vítima percebeu que havia caído em um golpe.

Já um vigilante de 52 anos, morador de Bady Bassitt, disse que recebeu uma ligação dizendo que a filha e a esposa haviam sido sequestradas. O autor dizia que iria estuprar e matar as mulheres, caso a vítima não depositasse R$ 5 mil.

A vítima relatou que, durante toda a conversa, era possível ouvir uma voz feminina que implorava por socorro. Após transferir R$ 1 mil para a conta dos golpistas, o vigilante recebeu uma ligação da filha, que afirmou estar em casa e em segurança.

O antigo golpe do falso boleto também fez uma vítima. Um ajudante de motorista, de 62 anos, perdeu R$ 127, 20 ao pagar a suposta conta referente ao serviço de internet.

A Polícia Civil tem a identificação dos titulares das contas bancárias para as quais as vítimas transferiram ou depositaram os valores. Os casos estão sendo investigados.

Compras online

A advogada Thais Ribeiro de Almeida, de 38 anos, também procurou a Central de Flagrantes para informar que foi vítima de golpistas. Ela informa que consultando o aplicativo de gestão do cartão de crédito, notou que haviam sido realizadas compras virtuais através do cartão online no valor de R$ 13.915,17.

“Fiz o cancelamento do cartão, mas os golpistas já tinham gasto quase 14 mil reais”, relatou a advogada.

Ainda de acordo com a advogada, ela não sabe exatamente como aconteceu a fraude. “O produto clonado é um cartão de compras online, não o cartão físico comum de plástico. Esse cartão é disponível somente dentro de um aplicativo de celular. Alguém acessou o meu aplicativo e utilizou os meus dados. O chip do meu celular foi paralisado e não conseguia mais ligar nem receber chamadas. Também houve movimentações estranhas no meu celular. Na sequência, eu cancelei o cartão e contestei as compras, depois eu procurei a polícia”, explicou a vítima.

O caso foi registrado como estelionato e está sendo investigado pela Polícia Civil.

Por Bia MENEGILDO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS