Violência contra idoso chega a 188 registros em Rio Preto

VIOLÊNCIA - Delegada Dálice Ceron, comenta sobre agressão a idosos em Rio Preto

O ano de 2017 registrou 188 casos de violência contra idosos que foram notificados pelos serviços de saúde público e privado de Rio Preto. A maioria das agressões sofridas pelos idosos é ocasionada pelos próprios familiares.

Segundo a delegada Dálice Aparecida Ceron da delegacia de defesa da mulher (DDM) e do idoso, parte das denúncias são feitas pelas vítimas e posteriormente têm o andamento impedido pelo próprio idoso. “Há uma resistência de denunciar a agressão, geralmente, por se tratar de neto ou filho. Porém, quando ocorre a denúncia por várias questões a vítima prefere deixar quieto. Por isso, a polícia tem uma certa dificuldade no andamento dos processos. O vínculo familiar faz com que a vítima se sinta apreendida na situação”, afirma Ceron.

A Secretaria da Saúde divide por categorias o tipo de violência sofrida pelos idosos e tem registrado como os principais casos: notificação por negligência, notificação por violência autoprovocada (tentativa de suicídio), notificação por violência psicológica/moral, notificação por violência sexual, notificação por violência física e notificação por violência financeira/econômica.

O maior número de notificações no ano passado foram 71 casos de negligências, seguido por 58 agressões físicas. No ano de 2016, os mesmo tipos de ocorrências foram as que tiveram um número expressivo, porém, ainda maiores com 76 notificações por negligências e 69 notificações de violência física.

“O número de denúncias é elevado, porém, a vítima protege o agressor. Há situações que os pais não querem os filhos e eles acabam indo para a casa dos avós. Por não aguentarem ver o indivíduo na rua, o avô acaba tendo piedade, justamente pelo vínculo afetivo”, conta a delegada.

O caso mais recente registrado na delegacia aconteceu na noite da última segunda-feira, no Jardim Paulista. Um comerciante de 69 anos foi agredido pelo próprio filho de 27 anos. A vítima contou que há dois anos é agredido pelo filho.

De acordo com a delegada, há situações que as agressões são motivadas pelo uso de drogas que o autor costuma ter. Além da delegacia do idoso, órgão da prefeitura como o CREAS – Centro de Referência Especializado em Assistência Social e o CMDI-Conselho Municipal dos Direitos dos Idosos dão o suporte aos idosos que são vítimas de agressões.
“O idoso tem direito a medida protetiva é preciso denunciar e não se calar diante destas situações”, finaliza Ceron.

 

Por Mariane Dias