Vigilância já tirou 80 toneladas de lixo de imóveis de acumuladores

Limpeza das residências de acumuladores é feita após obtenção de liminares judiciais e o lixo vai para aterro sanitário

A Vigilância Ambiental de Rio Preto já recebeu neste ano 95 denúncias de imóveis que oferecem risco à saúde pública devido ao acúmulo de materiais. No total, foram retiradas 80 toneladas de lixo destes imóveis através de liminares judiciais. Após recolher os itens, o lixo é levado para o aterro sanitário.

“O número de denúncias é considerado alto e vem crescendo ao longo dos anos. Vale ressaltar que não é necessário ter uma grande quantidade de acúmulo de materiais para ser considerado risco à saúde, como uma piscina abandonada, por exemplo”, explicou Luiz Feboli Filho, gerente da Vigilância Ambiental.

Dhoje Interior

Nesta quarta-feira (20), a Vigilância precisou utilizar cinco caminhões para retirar os materiais da casa de um casal no bairro Vila Elmaz. De acordo com o órgão, o imóvel já vinha sendo acompanhado há mais de um ano pela equipe de agentes de saúde da UBS Jaguaré com diversas denúncias de vizinhos e notificações, onde o morador sempre cumpria parcialmente as orientações, o que acarretava novos prazos e novas notificações.

Quando a situação chegou a um ponto extremo de insalubridade, a Vigilância Ambiental protocolou pedido de limpeza por liminar judicial. Neste caso a limpeza durou dois dias, contando com o apoio da Guarda Municipal e da equipe da Secretaria de Serviços Gerais, que enviou caminhões e mão de obra para a limpeza. Os moradores serão multados pelo acúmulo de materiais.

“O principal problema de ter muitos entulhos é que eles atraem escorpiões e favorecem a formação de ninhos de ratos, que oferecem riscos não só aos moradores como aos vizinhos”, afirmou Feboli.

As denúncias podem ser realizadas para o número 0800 770 5870.

Por Vinicius LIMA