Vigilância atinge marca de 1,1 mil empresas autuadas na pandemia

Claudio_LAHOS

A Secretaria de Saúde de Rio Preto, por meio da Vigilância Sanitária, já autuou desde o dia 24 de março, no início da pandemia, 1.100 estabelecimentos comerciais por descumprirem as normas de funcionamento neste período.

Na última terça-feira (22), a Vigilância publicou um edital com a imposição de penalidade multa para nove empresas, incluindo a Circular Santa Luzia, Havan, Igreja Assembleia de Deus e Lojas Americanas. As multas variam de 120 a 400 Ufesp (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo), sendo o valor de cada uma de R$ 27,61. Somadas, as infrações somam R$ 54.667,80. Vale ressaltar que em todos os casos cabem recursos, com as empresas tendo 10 dias para recorrer após o recebimento da multa.

Dhoje Interior

Com o avanço de Rio Preto para a fase amarela do Plano São Paulo no dia 4 de setembro, diversos estabelecimentos que antes estavam fechados tiveram suas atividades flexibilizadas. “Não tivemos alterações significativas quanto às fiscalizações após o início da fase amarela. No fim de semana, por exemplo, foram 32 denúncias recebidas, com 11 autuações, sendo uma em academia e 10 autuações em bares e restaurantes noturnos”, afirmou a gerente da Vigilância Sanitária, Miriam Wonk.

Grande parte das fiscalizações é advinda de denúncias, que podem ser feitas à Vigilância, por meio da Ouvidoria, pelo telefone 0800 770 58 70, ou para a Guarda Municipal pelo telefone 153. De acordo com a gerente, não houve aumento no número de fiscais por conta da fase amarela. “Hoje a fiscalização conta com 18 agentes da Vigilância Sanitária, além da Guarda Municipal, que tem auxiliado”, afirmou.

Na live realizada pela Saúde na última sexta-feira (18) ficou estabelecido o horário de funcionamento de diversos setores. Restaurantes poderão funcionar diariamente em dois horários das 12 às 16 horas e das 18 às 22 horas e os Bares das 12 às 15 horas e das 17 às 22 horas. As academias podem atuar de diariamente das 6h às 10h e das 17h às 21h. O limite de horas de funcionamento por dia continua sendo de 8 horas. A limitação da capacidade também não muda continua 40% da capacidade do estabelecimento.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior