Vacinação contra o HPV tem baixa adesão entre meninos em Rio Preto

Foto Divulgação

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde, apenas 27% dos meninos receberam a segunda dose da vacina contra o HPV. Vacinação é feita nas UBS do município

Os postos de saúde de Rio Preto receberam poucos meninos para serem imunizados contra o vírus do HPV (papilomavírus humano). Apenas 27% receberam a segunda dose da vacina. A informação é da Secretaria de Saúde da cidade.

Do total de adolescentes a serem vacinados no município, precisam receber a primeira dose 1.400 garotas e 4.414 garotos. Para segunda dose, os públicos somam 5.355 garotas e 7.875 garotos. De acordo com dados disponibilizados pela Saúde referentes até 15 de setembro, cerca de 65% das meninas já tomaram a segunda dose.

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo está convocando adolescentes para vacinação contra o HPV (papilomavírus humano). As doses da vacina estão permanentemente disponíveis nos postos de saúde para meninas entre 9 e 14 anos e meninos de 11 até 14 anos. A vacina protege contra tipos de cânceres em mulheres e homens. É necessário tomar duas doses da vacina, a segunda aplicada seis após a primeira.

“É uma vacina importante e que faz parte do Calendário Nacional de Vacinação da Criança e dos Adolescentes, e o Ministério da Saúde tem aumentado a divulgação para alertar os pais para aqueles que nunca tomaram a vacina para receber a primeira dose, como também, para aqueles que estão em atraso ou esqueceram de tomar essa segunda dose”, ressaltou Michela Barcelos, gerente de imunização da Secretaria de Saúde de Rio Preto.
Segundo estudos, a vacina é realizada nessa faixa etária por uma série de motivos. Uma delas é de que nessa faixa etária (nove anos) a resposta é melhor e a produção de anticorpos é maior.

A imunização contra o HPV previne diversos tipos de câncer que afetam os sexos feminino e masculino. A vacina disponível na rede pública de saúde previne cerca de 80% cânceres do colo útero e 90% das verrugas genitais, além de outros tipos de câncer, como câncer anal, de pênis, de vagina e de orofaringe. Conteúdo especial: Vinícius Maia

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS