Usuário de crack apanha de taxista após recusar pagar corrida

Um mecânico de 42 anos, que se declarou usuário de crack, foi agredido por um taxista de 37 anos na tarde da quarta-feira (21), em Rio Preto, após se recusar a pagar uma corrida de R$686,40 solicitada e realizada por ele.

Segundo o boletim de ocorrência, a Polícia Militar foi acionada a comparecer em uma residência no Cecap, zona norte da cidade, por volta das 17h, onde o taxista estaria agredindo com socos o mecânico, que alegava não ter dinheiro para pagar o serviço.

De acordo com o relato do taxista à polícia, o mecânico pegou uma corrida com o motorista por volta das 10h08 na esquina das avenidas México e Nossa Senhora da Paz, no Jardim América. De lá, eles foram a diversos locais como oficinas mecânicas, várias residências, município de Bady Bassitt, motel na rodovia BR-153, etc.

Ao terminar a corrida, o passageiro alegou ao taxista não ter o devido dinheiro para o pagamento, momento em que ambos passaram a se agredir.

À polícia, o mecânico contou que solicitou a corrida para buscar uma peça em uma oficina mecânica, vendê-la, comprar pedras de crack e utilizá-las no motel. No total, foram compradas pelo homem nove pedras do entorpecente. O taxista teria emprestado também R$30 ao usuário.

A mãe do mecânico teria tentado negociar com o taxista, que não aceitou a oferta.

O caso será investigado pelo 3º Distrito Policial.

Da REPORTAGEM

(Colaborou Arthur AVILA)