Uso excessivo de smartphones e computadores aumenta o risco de miopia

Com o passar dos anos, a tecnologia domina o nosso cotidiano. Computadores e celular começam a fazer parte do dia a dia as pessoas, com isso algumas doenças oculares também aparecem. A doença que tem mais aparecido é a miopia, considerada a epidemia do século pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o número de pessoas com essa doença tem crescido drasticamente.

Em muitos casos a miopia é hereditária, porém alguns aspectos ambientais, como a diminuição de atividades ao ar livre e o uso excessivo de aparelhos tecnológicos tem causado a doença precoce em crianças e adolescentes.

Beatriz Vellani, de 22 anos descobriu a miopia com 15 anos e desde então, usa óculos “Eu só descobri porque minha visão estava muito ruim de longe e fui até o oftalmologista e já estava com 1,75. Hoje estou com cinco graus”, conta a estudante.

A Miopia é caracterizada pela dificuldade de enxergar longe causado pelo alongamento do globo ocular, fazendo com que a imagem seja formada antes da retina, neste caso os objetos próximos são vistos com nitidez e as imagens distantes ficam desfocadas, explica à oftalmologista Dr. Thaíssa Faloppa.

O grande perigo acontece com a miopia infantil, onde na maioria das vezes, a criança não possui consciência sobre tal disfunção. De acordo com o CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia), 20% das crianças em idade escolar apresentam problemas de visão. “Os pais precisam ficar atentos a queixas de dores de cabeça e reclamações para enxergar objetos distantes”, alerta a Dra. Thaissa.

Além disso, a miopia pode desenvolver outros problemas “Hoje no Brasil o número de altos míopes é 3,5%. O alto míope é chamado de miopia degenerativa, que a 3º causa de cegueira no mundo. Esse número tem previsão de aumentar para mais de 10%. O alto míope pode ter problemas como descolamento de retina e glaucoma.

A miopia não tem cura e é irreversível, mas algumas medidas como manter uma distância de 30 cm na hora da leitura e usar aparelhos tecnológicos podem diminuir os riscos. Para as crianças, é recomendado brincar pelo menos 40 minutos do dia ao ar livre, longe dos televisores e smartphones para evitar este mal e ainda incentivar brincadeiras educativas.
A Dr. Thaissa também orienta fazer uma consulta anual ao oftalmologista. O empresário Leonildo Cuogh, de 43 anos, descobriu o problema no ensino médio, mas sempre faz consulta “Costumo consultar o oftalmologista todo ano para assegurar a saúde dos meus olhos e o uso correto das lentes e dos óculos. Já pesquisei sobre a funcionalidade e métodos da cirurgia para correção e espero poder realizá-la assim que possível”, finaliza.

A cirurgia refrativa pode ser uma ótima opção corretiva para se livrar dos óculos. A oftalmologista relembra que junto com a miopia, o esforço intenso da visão pode ocasionar ainda olho seco, exigindo de atenção redobrada. (Colaborou: Leo BIGOTTO CARON)

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS