Unidade móvel do Banco de Leite Humano completa um ano

A unidade móvel do Banco de Leite Humano de Rio Preto completa um ano de funcionamento neste mês de abril. A van foi doada pelo Rotary Club e já percorreu 5.393 quilômetros neste primeiro ano de trabalho. “O Rotary é parceiro do Banco de Leite Humano, assim como a Unimed, desde o início do seu funcionamento, em 2008. Com a doação da unidade, estamos alcançando resultados excelentes”, comentou a gerente Priscila Theodoro.

A unidade móvel percorre Rio Preto de ponta a ponta, com o objetivo de levar orientação sobre amamentação e doação do leite materno. O trabalho é realizado nas unidades básicas de saúde e em quatro hospitais: Austa, Beneficência Portuguesa, Santa Casa e Hospital da Criança e Maternidade. Nesses locais, a equipe esclarece dúvidas relacionadas ao processo de aleitamento materno e convida as mães para doarem o leite, o que é feito dentro da própria van.

Após a coleta, o Banco de Leite Humano pasteuriza o leite. O destino final são as unidades de terapia intensiva desses hospitais. “A vida desses bebês, internados nas UTIs, depende do leite materno. Em muitas ocasiões, como o bebê nasce prematuro, a mama da mãe ainda não está preparada para a produção de leite. Por isso, o leite doado é tão precioso para que o bebê possa sobreviver”, explicou.

Nesse primeiro ano de funcionamento, foram coletados 24 litros de leite dentro da unidade, de 248 doadoras, entre elas Karla Machado, mãe da Ana Laura, de nove dias de vida. “Eu acho que é uma oportunidade que tenho de ajudar aqueles bebês que precisam. Isso também não atrapalha a rotina porque você já tem de se dedicar à amamentação do bebê, então estender uns minutos do dia para a doação não é sacrifício algum”, disse.

Além da captação do leite materno, a equipe da unidade móvel também realizou 267 atendimentos a mães e 2.313 orientações. A doação não prejudica a mãe nem o bebê. “Quanto mais leite a mãe retirar, mais leite ela vai produzir, pois o organismo entende que a mama esvaziou e precisa de nova produção”, explicou Priscila.

Para ser doadora, é preciso estar com os exames de sorologia em dia. O cadastro pode ser feito na própria unidade móvel ou por telefone. “Depois do cadastro, o Banco de Leite fornece um frasco para fazer a coleta dentro de casa. Outro carro do Banco de Leite vai buscar a doação”, completou.

Para as mães que são doadoras e vão voltar ao trabalho antes do sexto mês do bebê, o Banco de Leite Humano devolve 50% do leite doado, já pasteurizado, o que prolonga a sua validade de 15 dias para seis meses. “Assim, a mãe pode voltar ao trabalho mais tranquila, sabendo que o bebê vai receber o leite materno até os seis meses de vida”, finalizou.

Serviço:

Banco de leite humano (unidade fixa)

Endereço: Av. dos Estudantes, 1.886 – Vila Aeroporto

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, aos sábados, das 9h às 13h

Telefone: 3214-3422

Da REDAÇÃO

SEM COMENTÁRIOS